Fonte: OpenWeather

    Decreto


    Governo decreta suspensão de aulas e outras medidas contra coronavírus

    O decreto prevê o trabalho em home office para os servidores; uma possível contratação de temporários e a suspensão de férias dos trabalhadores da saúde

    Entre as medidas está a suspensão das aulas nas escolas e universidade estaduais
    Entre as medidas está a suspensão das aulas nas escolas e universidade estaduais | Foto: Divulgação

    Manaus - Por meio das redes oficiais do Governo do Amazonas, na tarde desta segunda-feira (16), o governador Wilson Lima anunciou novas medidas de prevenção e controle do novo coronavírus. Ele assinou um decreto de situação de emergência da saúde pública no Estado. Entre as medidas está a suspensão das aulas nas escolas e universidade estaduais; a possibilidade de contratação de profissionais da saúde temporários em caso de atuação emergencial e o cancelamento de férias de servidores da Secretaria Estadual de Saúde (Susam) até o próximo dia 15 de maio. 

    O decreto é válido pelo período de 120 dias e poderá ser prorrogado caso haja necessidade. Wilson Lima destacou que todos os eventos realizados pelo Governo do Amazonas, bem como as programações culturais em locais públicos, estão suspensos pelo mesmo período. 

    "Nesse tempo é necessário que tudo seja suspenso até que a gente consiga evitar a proliferação do Covid-19. Nós criamos um comitê de combate ao coronavírus, com a participação de várias secretarias, e todos os dias haverá reuniões para avaliar todos os casos e decidir sobre os novos passos. Essas avaliações serão feitas de acordo com o comportamento do vírus no Estado. Além dos eventos, a partir de hoje também estarão suspensas as visitações aos presídios", destacou.

    A live feita por meio do Facebook do Governo do Amazonas foi acompanhada por mais de duas mil pessoas. Wilson respondeu perguntas da imprensa e do público junto com o secretário estadual de saúde, Rodrigo Tobias, e a diretora da Fundação de Vigilância Sanitária (FVS), Rosemary Costa Pinto.

    Aulas suspensas 

    Lima ainda informou que as aulas nas escolas e universidades estaduais na capital amazonense estão suspensas pelos próximos 15 dias. A determinação vale a partir desta segunda-feira (16). Questionado sobre as aulas no interior do Estado e nas escolas da Região Metropolitana, Wilson informou que, por enquanto, a determinação é apenas para a capital, já que nas outras localidades o risco de transmissão é muito baixo. 

    As escolas estaduais em Manaus permanecerão fechadas pelo período de 15 dias
    As escolas estaduais em Manaus permanecerão fechadas pelo período de 15 dias | Foto: Divulgação


    "Caso algo mude posteriormente, o Comitê Intersetorial de Gestão de Emergência em Saúde Pública vai avaliar qualquer alteração. Por enquanto, nós vamos trabalhar para conter o vírus na capital e o decreto não atende as escolas do interior do Estado", declarou ao responder um internauta. O governador ainda recomendou que as instituições privadas também sigam as novas medidas de prevenção e controle do novo coronavírus do Amazonas.

    Saúde

    O secretário de saúde do Amazonas, Rodrigo Tobias, informou que em um prazo de até 48 horas, o Amazonas receberá um recurso para investir na prevenção do Covid-19. Compras de materiais utilizados pelos profissionais da saúde já foram realizadas. O decreto prevê a dispensa de licitação para a compra de bens e serviços, tendo em vista que as medidas administrativas são necessárias para enfrentar a situação de emergência.

    "Hoje nós recebemos 90 mil máscaras cirúrgicas e até a próxima sexta nós vamos receber outras 130 mil. Então, não faltam insumos na nossa rede estadual de saúde. Atualmente, nós temos mais de 500 leitos de UTI e, com o recurso, nós devemos alugar novos leitos para atender mais pessoas".

    As equipes recebem reforços nos insumos
    As equipes recebem reforços nos insumos | Foto: Divulgação


    Na ocasião, Wilson Lima falou sobre a suspensão das férias de todos os servidores da saúde até o próximo dia 15 de maio. Além disso, ele destacou que os funcionários públicos que são do grupo de risco ao Covid-19 devem ser afastados das funções. Nenhum servidor vai participar de eventos ou viagens durante o período do decreto.

    "Estamos suspendendo as férias e não vamos permitir que servidores estaduais acima de 60 anos, gestantes, lactantes e pessoas com doenças crônicas continuem trabalhando. O objetivo é não elevar o risco de contaminação. Entretanto, mesmo afastados, eles devem continuar os trabalhos por meio de home office pelo prazo de 15 dias sem prejuízo à remuneração. O servidor que se encaixa nesse grupo de risco deve procurar o seu gestor imediato e verificar como será feito esse trabalho".

    Questionado sobre o prejuízo ao atendimento nos órgãos públicos, o governador informou que, se for necessário, haverá contratação de servidores temporários.

    Cruzeiros

    O decreto prevê ainda que o Porto de Manaus poderá suspender as atividades de cruzeiros de grande porte. Alguns navios com turistas de várias partes do mundo estão previstos para atracar na capital amazonense nos próximos meses.

    Os cruzeiros podem ser suspensos em Manaus
    Os cruzeiros podem ser suspensos em Manaus | Foto: Divulgação


    Wilson Lima informou que a Superintendência Estadual de Navegação, Portos e Hidrovias (SNPH) vai avaliar cada caso e decidir se os navios vão atracar ou não no porto e se os turistas vão poder visitar Manaus nesse período. O objetivo é evitar que haja a transmissão comunitária na cidade.

    Números Covid-19 

    A diretora da FVS-AM disse que a paciente que testou positivo para o coronavírus no Estado já está recuperada e saiu do período de transmissibilidade da doença. Ela continua em isolamento domiciliar, e faz exames diários.

    "Ela não tem mais nenhum um sintoma e não oferece mais o risco de transmissão. Todas as pessoas que tiveram contato com ela fizeram os exames e todos tiveram o resultado negativo", apontou Rosemary. 

    A FVS descartou os quatro casos suspeitos do novo coronavírus que ainda estavam sob investigação no Amazonas. Com isso, dos 15 casos investigados, apenas um foi confirmado desde que foram anunciados os primeiros casos suspeitos. Os outros 14 deram negativo, conforme os exames e, nas últimas 48 horas, não houve registro de novos casos suspeitos.