Fonte: OpenWeather

    Covid-19


    AAM defende regionalização das ações contra o coronavírus no interior

    Leite defende ações em municípios como Tefé, Coari, Manacapuru, Parintins, Humaitá, Tabatinga, Eirunepé e Itacoatiara

    O prefeito também ressaltou que AAM está monitorando e em contato diário com as prefeituras do interior
    O prefeito também ressaltou que AAM está monitorando e em contato diário com as prefeituras do interior | Foto: Divulgação

    O presidente da Associação Amazonense de Municípios (AAM) e prefeito de Maués, Junior Leite, defendeu na manhã desta terça-feira (17), que as estratégias e políticas nacionais de prevenção e enfrentamento ao Covid-19 (coronavírus) devem ser regionalizadas e interiorizadas, respeitando as características geográficas e sociais de cada município e Estado.

    De acordo com Leite, é necessário que no caso do Amazonas, as autoridades de saúde desenvolvam e intensifiquem as ações e políticas públicas em municípios como Tefé, Coari, Manacapuru, Parintins, Humaitá, Tabatinga, Eirunepé e Itacoatiara, entre outros considerados polos de suas regiões, para atingir de forma mais rápida todos os moradores do Estado.

    “Todos sabemos das grandes distâncias e problemas de logística, transporte e comunicação no interior e acreditamos que, concentrando a atuação nestes centros, onde a circulação de pessoas de outros municípios é maior, os resultados serão mais efetivos e os impactos e avanços da doença nas cidades e principalmente, nas comunidades ribeirinhas e indígenas, poderá ser reduzido”, avaliou Junior Leite.

    O prefeito também ressaltou que AAM está monitorando e em contato diário com as prefeituras do interior, para identificar possíveis problemas e também para prestar assessoria, orientações técnicas e estratégias de enfrentamento à pandemia, além de esclarecimentos, atualizações e informações sobre os decretos e determinações do Ministério da Saúde, órgãos estaduais e a Confederação Nacional de Municípios (CNM).

    Em âmbito interno, a Associação também cancelou viagens e participações em eventos e encontros municipalistas fora do Estado, além de colocar seus servidores com mais de 60 anos de idade, e em grupo de risco, trabalhando em modo home office.  

    A sede da AAM, onde os demais servidores da entidade prosseguem em atividade, também está passando por um grande processo de higienização que inclui desde a troca e manutenção dos aparelhos de ar-condicionado, a limpeza de maçanetas e áreas de trabalho.

    “A AAM não pode e não vai parar neste momento em que todo o mundo, o Brasil e o Amazonas estão em alerta máximo para o coronavírus. A população amazonense do interior, ressaltando sempre os ribeirinhos e indígenas, precisam de todo o suporte, assistência e orientações possíveis”, enfatizou Junior Leite, ao acrescentar que a AAM também mantém o atendimento online pelo e-mail [email protected], pelo WhatsApp (92) 98116-3887 e também pelo telefone (92) 3133-3250.

    *Com informações da Assessoria