Fonte: OpenWeather

    Liminar


    Justiça determina transferência de paciente de Tabatinga para Manaus

    Caso no interior é um dos atendimentos de urgência que estão sendo realizados pela Defensoria Pública apesar da suspensão de serviços nas unidades. Paciente está internado em estado grave

    | Foto: Divulgação

    Um paciente, de 22 anos, da rede pública de saúde em Tabatinga, obteve nessa quinta-feira (19) uma liminar judicial para ser transferido via UTI móvel para unidade médica em Manaus. Para ingressar com a ação na Justiça, familiares procuraram a Defensoria Pública do Estado (DPE-AM), após médicos do Hospital de Guarnição de Tabatinga apontarem que o homem estava com insuficiência respiratória, por suspeita de timoma e linfoma.

    De acordo com a decisão do juiz Edson Rosas Neto, da 1° Vara de Tabatinga, o Estado do Amazonas tem o prazo de 48 horas para transferir o paciente a uma unidade da rede pública de saúde que ofereça o tratamento adequado, na capital, diante do quadro. A multa diária em caso de descumprimento da liminar é de R$ 5 mil.

    O paciente está internado em estado grave, sedado e entubado. A família procurou o Polo da Defensoria no Alto Solimões ainda nessa quinta-feira. Segundo o defensor público Rodrigo Valle, documentos do Hospital de Guarnição de Tabatinga indicam a necessidade de transporte, em caráter emergencial, para avaliação por especialista na área de cirurgia torácica e a realização de tomografia de tórax em Manaus.

    "Os familiares relataram grande esforço para a transferência médica necessária, mas o pleito não foi atendido. Diante da negativa, a Defensoria Pública promoveu ação judicial e obteve, poucas horas depois, liminar determinando que o Estado proceda a transferência via UTI móvel", conta o defensor.

    Atendimento de urgência

    A história do paciente com insuficiência respiratória em Tabatinga é um dos exemplos de atendimento de urgência mantidos pela Defensoria Pública em Manaus e no interior do Amazonas diante da pandemia de Coronavírus (COVID-19).

    Casos que envolvam o direito à vida e à saúde, réus presos, a prisão civil por dívida de pensão alimentícia, além de prazos processuais em curso são alguns exemplos que a Defensoria continuará atendendo nas próximas duas semanas. O atendimento ordinários nas unidades do órgão foi suspenso como forma de prevenção à eventual transmissão local do Coronavírus.

    "O trabalho interno da Defensoria continua. Assim, em todos os processos em que haja um prazo para recurso ou outro tipo de defesa com prazo nós vamos manter o atendimento, como será feito nos casos que envolvam urgência. O cidadão que precisa de um tratamento médico, por exemplo, não pode esperar e será atendido”, explica o defensor geral do Amazonas, Ricardo Paiva.

    Em caso de dúvida, ligue para a Defensoria

    Assistidos da Defensoria Pública do Estado (DPE-AM) em Manaus que estejam com dúvidas ou precisem do de atendimento de urgência devem telefonar para o Disk 129. O serviço por telefone funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.

    No interior, os assistidos podem entrar em contato com o Polo da região pelos telefones abaixo.

    - Polo do Médio Amazonas (Itacoatiara): (92) 98416-8722

    - Polo do Baixo Amazonas (Parintins): (92) 98455-6153

    - Polo do Madeira (Humaitá): (92) 98416-5678

    - Polo do Médio Solimões (Tefé): (92) 98417-2747

    - Polo do Alto Solimões (Tabatinga): (92) 98428-2843

    *Com informações da assessoria 

    Saiba mais sobre o coronavírus:

    Governo anuncia cura de paciente internado por coronavírus

    Filmes e séries para quem estiver de 'molho'

    Coronavírus: prefeito suspende eventos em Manaus

    Coronavirus