Fonte: OpenWeather

    Desastre


    'Não era o pai, mas o tinha como filho', diz padrasto de criança morta

    Os moradores e a família usaram as próprias mãos para retirar barro e lama da região em que a vítima estava soterrada

    Residência em que a família mora foi invadida por lama durante a forte chuva | Foto: Kennedson Paz

    Manaus - Uma criança de 11 anos morreu após ser soterrada, na manhã desta segunda-feira (23), na Zona Centro-Oeste de Manaus. Em entrevista ao Portal Em Tempo, o padrasto da vitima, Luiz Carlos, desabafou: "eu não era o pai, mas o tinha como filho". Até às 14h de hoje, a Central 199 da Defesa Civil de Manaus registrou um total de 72 ocorrências e 156 milímetros de chuva até o fim da manhã, sendo o maior volume do ano para um único dia.

    O homem conta que a família e os vizinhos acordaram com os gritos da mãe da criança por socorro ao saber que o filho havia sido soterrado após o muro da cozinha da residência desabar. " Só não veio mais gente ajudar porque não tinha. Eram aproximadamente 12 pessoas ajudando a retirá-lo dos escombros", relata o padrasto. 

    Em meio ao desespero, os moradores e a família usaram as próprias mãos para retirar barro e lama da região em que a vítima estava soterrada. 

    Após ser retirada já inconsciente dos escombros, a criança foi levada às pressas para um Serviço de Pronto Atendimento (SPA) da Redenção, onde foi atestada a morte. Os moradores reclamam da demora, de aproximadamente 1h, até à chegada de uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). 

    Quer ajudar a família vítima do desastre? Entre em contato com Luiz Carlos pelo número (92) 99357-6499. 


    Veja a reportagem no local da ocorrência: