Fonte: OpenWeather

    Monitoramento


    Aplicativo ajuda mulheres com histórico de violência domiciliar no AM

    A maioria dos acionamentos no "Alerta Mulher", feitos no ano passado, foi em virtude do descumprimento de medidas protetivas

    O app é um canal de rápida comunicação da vítima via aplicativo com a polícia
    O app é um canal de rápida comunicação da vítima via aplicativo com a polícia | Foto: Carlos Soares/SSP-AM

    Manaus - Mulheres que sofrem de violência doméstica no Amazonas têm a seu favor o aplicativo Alerta Mulher, que funciona como uma espécie de botão de pânico para as vítimas. O app foi desenvolvido pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM), em parceria com a Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc).

    A maioria dos acionamentos no Alerta Mulher feitos no ano passado foi em virtude do descumprimento das medidas protetivas legais, prevista na Lei nº 11.340/2006, conhecida como a Lei Maria da Penha.

    O app é um canal de rápida comunicação da vítima via aplicativo com a polícia. A vítima pode enviar fotos e áudios no aplicativo. Essas informações são recebidas pela equipe de monitoramento de segurança do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) e, imediatamente, a viatura mais próxima é deslocada para o atendimento da ocorrência.

    Cadastro no sistema

    O Alerta Mulher é direcionado para mulheres que já possuem registro de violência ou agressão via boletim de ocorrência (BO). O cadastro no app pode ser feito somente na Delegacia Especializada em Crimes contra à Mulher (DECCM). No momento do cadastro, é solicitado o número do BO e do CPF da vítima.

    A partir disso, a atendida é orientada a fazer o download do aplicativo no celular, e a efetuar o acesso por meio do seu CPF. Concluído todos os passos, o botão de pânico do alerta é ativado no app.

    “Inclusive, no ato da denúncia, já temos até a foto do agressor, caso no ato do registro a vítima tenha anexado a foto. O Ciops funciona 24 horas, sendo assim no horário que a denúncia for realizada, a viatura será acionada”, afirma o major Bombeiro Marco Gama, coordenador da equipe de desenvolvimento do Ciops.