Fonte: OpenWeather

    Vila da Prata


    Moradores ameaçam fechar via em protesto por obra da 'Água de Manaus'

    “Não se surpreendam quando verem uma barricada com entulhos na principal via do bairro Vila da Prata”, ameaça um morador

    Obra gera transtornos à população desde o início de 2019 | Foto: Divulgação

    Manaus - Há aproximadamente três meses, os moradores da rua Doutor Dalmir Câmara (antiga rua Brasil), situada no bairro Vila da Prata, próximo à Escola Joaquim Gonzaga Pinheiro, reclamaram de uma obra da empresa Águas de Manaus que, desde então, vem tirando o sossego de todos. Eles ameaçam montar barricada com entulhos sobre a via para chamar a atenção da empresa para que o problema seja resolvido.

    No início do ano, funcionários da empresa instalaram um bueiro em um trecho da via, mais precisamente no limite do meio fio. No entanto, conforme os denunciantes, a tampa do bueiro rachou com o peso dos veículos.

    À época, a reportagem foi acionada e entrou em contato com a empresa, que, após quatro dias, instalou uma chapa de ferro sobre o buraco, com o intuito de evitar que a roda de veículos ficasse presa no lugar.

    Moradores contam que, por conta do barulho, tiveram que isolar a placa de ferro com lixo para evitar que carros passassem sobre
    Moradores contam que, por conta do barulho, tiveram que isolar a placa de ferro com lixo para evitar que carros passassem sobre | Foto: Divulgação

    Mas o problema não parou por aí. "A chapa, medindo aproximadamente 3x3 metros, fazia um barulho estarrecedor quando algum veículo passava por cima. Era dia e noite barulho, sem dar trégua, porque a via é bastante movimentada. Então, recorremos ao presidente do bairro, mas a demora em retirar a tampa continuou. Decidimos pedir novamente à imprensa e, em contato com eles [da Águas de Manaus], mandaram novamente uma equipe, pra retirar a chapa de ferro e finalmente substituir por uma tampa redonda no buraco", conta um comerciante de 55 anos, que prefere não ter o nome divulgado. 

    O barulho é ainda maior quando veículos pesados, como ônibus e caminhões, passam sobre o buraco | Autor: Divulgação
     

    Ainda conforme os moradores, a nova tampa durou aproximadamente 20 dias. "Após esse período, uma equipe veio aqui novamente, retirou a tampa boa - que não apresentava defeito e nem barulho - e voltou a mexer na pavimentação da rua, arredondou a beira do bueiro, preenchendo com cimento e asfalto, e depois colocou uma outra tampa. Foi aí que começou a perturbação novamente", salienta a dona de casa Conceição Santos, de 40 anos. 

    Até o tráfego dos veículos de passeio faz alto barulho sobre a tampa do bueiro | Autor: Divulgação
     

    “É dia e noite os veículos passando por cima da tampa e um barulho alto, como se um caminhão com botija de gás estivesse jogando elas no chão. É cada porrada que você acorda de madrugada no susto, pensando até que a porta de casa tá sendo arrombada”, frisa a moradora, destacando que os funcionários da empresa já relataram anteriormente que o barulho é por conta da falta de uma borracha na beirada na tampa - similar às usadas em tampas de panelas de pressão.  

    Em conversa com os moradores, houve a ameaça de bloquear parte da via. “Nós estamos pensando em bloquear parcialmente a via. Porque aqui na vizinhança não tem um funcionário da Águas de Manaus sendo incomodado com esse barulho, por isso que ainda não foi resolvido. Não são 2 ou 3 dias, são três meses que a gente vive esse perrengue. Então, vocês da imprensa não se surpreendam quando verem uma barricada com entulhos na principal via do bairro Vila da Prata”, alerta um dos moradores. "Duvido se com isso eles não tomam uma providência imediata".  

    Vizinhança conta que, após a empresa decidir adotar
    Vizinhança conta que, após a empresa decidir adotar | Foto: Divulgação

    Empresa

     Em nota, enviada nesta sexta-feira (27), a Águas de Manaus informou que enviará uma equipe técnica ainda hoje para apurar a situação informada. A empresa buscará atuar no menor tempo possível e causando o menor transtorno aos moradores.