Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    Transporte de passageiros na Ponte Rio Negro está proibido por 15 dias

    A medida é válida para o transporte de passageiros e segue o decreto governamental contra o coronavírus

    | Foto: divulgação

    Manaus-  A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus (Seinfra) informou, por meio de nota, nesta terça-feira (7), que o tráfego de alguns tipos de veículos na Ponte Jornalista Phelippe Daou (Ponte Rio Negro) está suspenso. A medida segue o decreto do Governo do Amazonas que proíbe o transporte de passageiros intermunicipal e interestadual com a necessidade de intensificar o isolamento social no Amazonas em meio ao crescimento de casos do novo coronavírus.

    A suspensão é válida para o transporte de pessoas em ônibus e micro-ônibus (públicos e privados), vans e similares, táxis ou transporte por aplicativo. O serviço foi interrompido desde o anúncio do decreto, no último sábado (4), e será retomado em um prazo de 15 dias. A Seinfra sinaliza que o prazo poderá ser maior caso as atividades econômicas continuem interrompidas pelos governos municipal e estadual.

    A suspensão não se aplica às pessoas que estejam voltando ao seu domicílio de origem, bem como ao transporte de cargas e de serviços de urgência e emergência em saúde, de segurança pública ou relacionado aos demais serviços públicos essenciais.

    Ponte

    Com 3.595 metros de comprimento, a Ponte Rio Negro foi inaugurada em 2011 no dia do aniversário de Manaus, 24 de outubro. Pelo menos três grandes municípios da Região Metropolitana de Manaus são beneficiados pelo transporte que sai e vem até a capital amazonense. São eles: Iranduba, Manacapuru e Novo Airão.

    A ponte viabiliza o plano de expansão da capital para a outra margem do Rio Negro, reduzindo a pressão sobre a cidade e abrindo novas perspectivas de negócios. Em Iranduba, o transporte urbano é feito por duas empresas privadas que operam com um total de 20 ônibus. Parte desses ônibus faz a travessia de centenas de passageiros todos os dias.


    Coronavirus