Fonte: OpenWeather

    Infraestrutura


    Obras na Constantino Nery estão 85% concluídas, revela prefeitura

    De acordo com a Seminf, as obras do complexo viário Ministro Roberto Campos devem se entregues até o final de junho

    Obras de melhoria de trânsito avançam, mas trabalhadores indicam novo prazo
    Obras de melhoria de trânsito avançam, mas trabalhadores indicam novo prazo | Foto: Lucas Silva/ Em Tempo

    Manaus - As obras de infraestrutura para melhoria do trânsito seguem a todo vapor mesmo com o período marcado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) em Manaus. Com 85% da obra concluída, o Complexo Viário Ministro Roberto Campos deve ser entregue até o final de junho e o complexo Professora Isabel Victória tem previsão para o mês de setembro, conforme anunciou a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) ao Portal Em Tempo esta semana.

    O Complexo Ministro Roberto Campos, localizado na avenida Constantino Nery, cujo nome se deve em homenagem ao idealizador da Zona Franca de Manaus, teve o início das obras em abril de 2019.  De acordo com o diretor de acompanhamento de obras da Seminf, Tabajara Ferreira Júnior, de 39 anos, o andamento da construção segue dentro do prazo e já teria entrado em fase de conclusão.

    Ele ressalta que, no Complexo Roberto Campos, aproximadamente 100 pessoas estão trabalhando diariamente, todos os dias, com exceção dos domingos. "Na avenida Constantino Nery, a passagem de veículos já está liberada, faltam apenas os acabamentos na estação de transferência (no canteiro central), conclusão do banheiro e sinalizações de trânsito. Na passarela, falta apenas a pintura e os elevadores, que já se encontram no canteiro de obras aguardando instalação", afirma.

    Obra do complexo viário na Avenida Max Teixeira
    Obra do complexo viário na Avenida Max Teixeira | Foto: Lucas Silva

    Nas ruas Pará e João Valério, que ainda se encontram fechadas para obras, o pavimento rígido (rua) e as paredes aguardam conclusão, além dos acabamentos das paredes, como finalização da construção e as pinturas. Vale ressaltar que o andamento das obras nos locais pode sofrer interferência do progressivo declínio no número de carros circulando na cidade, devido ao período de isolamento social. Assim, os veículos de carga pesada podem circular entre os locais com maior facilidade e velocidade.

    "Seguindo as orientações dos órgãos de saúde, as empresas deram folgas para os grupos de risco, disponibilizaram máscaras, luvas e álcool em gel para os funcionários. Além disso, existem técnicos nas obras instruindo sobre o cumprimento das orientações de evitar aglomerações, porque a prefeitura está sempre fiscalizando", explica o engenheiro da Seminf.

    Obra do complexo viário da Constantino Nery
    Obra do complexo viário da Constantino Nery | Foto: Lucas Silva

    A Prefeitura de Manaus também está construindo a primeira de três novas estações de transferência, integrada ao novo anel viário da Constantino Nery, que é planejada para receber os novos ônibus que serão inseridos no Sistema de Transporte Coletivo a partir de junho de 2020. No local, já é possível visualizar o túnel e as saídas da passagem de nível responsável por levar os motoristas da avenida João Valério para a São Jorge ou à Constantino Nery.

    Os investimentos totalizam aproximadamente R$ 65 milhões e, de acordo com o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), sete semáforos serão retirados com a obra, permitindo conversões e eliminando os conflitos de cruzamento no entorno, consequentemente possibilitando a interligação das zonas Oeste e Centro-Sul. Uma nova pista vai conectar a avenida João Valério com a avenida São Jorge, por meio de uma passagem subterrânea pela Constantino Nery, no sentido Leste-Oeste.

    Uma bifurcação é encarregada de levar os veículos para o sentido bairro São Jorge, e uma outra, por meio de uma curva à esquerda, leva o tráfego para a avenida Constantino Nery, desta vez no sentido Centro. A segunda intervenção sob a Constantino Nery ocorre no sentido Oeste-Leste, interligando a Rua Pará com a avenida São Jorge. 

    Complexo do Manoa

    Por meio do Programa Requalifica, a Prefeitura de Manaus está construindo três estações de transferência, o novo complexo Viário do Manoa e mais 200 vias para melhoria do trânsito nos horários de pico. De acordo com a Seminf, somente pelo Requalifica 1, já finalizado, foram 205 vias e 100 quilômetros de novo asfalto aplicado em quatro lotes de obras.

    No complexo viário Professora Isabel Victória, na avenida Max Teixeira, o período para a conclusão das obras é ligeiramente maior. A expectativa da Seminf é que a obra seja concluída até o mês de setembro. O local, que fica intrafegável nos horários de pico, vai ter maior fluidez no fluxo de carros devido à remoção de semáforos, além da reestruturação no sentido de algumas vias no sistema de trânsito, com inclusão do sistema binário.

    "No complexo do Manoa, estamos com 45% a 50% das obras concluídas. Nesta semana resolvemos todas as pendências com desapropriações. Todos os imóveis que seriam afetados já foram indenizados e liberados para demolição e consequente execução das obras. A rua Francisco Queiroz, que hoje é mão dupla, vai se tornar a entrada do Conjunto Manoa, com mão única. Os sentidos serão definidos como foi feito no Vieiralves, a partir de reunião posteriormente", esclarece Tabajara Ferreira.