Fonte: OpenWeather

    Prevenção


    Mais de 150 testes rápidos para Covid-19 foram feitos em PMs no AM

    11 policiais militares morreram de coronavírus do Amazonas, além disso mais de 150 foram afastados por suspeita da doença

    Os testes são realizados no Hospital da Polícia Militar | Foto: Rell Santos/Secom

    Manaus - Após o registro de 11 mortes e o afastamento de mais de 150 policiais militares por conta do novo coronavírus, o  Governo do Amazonas está promovendo uma série de ações voltadas à Polícia Militar com o objetivo de resguardar a saúde da tropa durante a pandemia de Covid-19. Uma dessas medidas é a realização de testes rápidos para o novo coronavírus, que já foram aplicados em mais de 150 policiais desde a semana passada.

    Para o chefe do Estado Maior da PM, coronel Ronaldo Negreiros, o exame é uma forma de a corporação se antecipar na assistência aos agentes da lei. “Com essas medidas, o comando entende que pode ajudar o policial militar contra esses males respiratórios que estamos vivendo no momento”, comentou.

    Os testes são realizados no Hospital da Polícia Militar, localizado na sede do Comando Geral, no bairro Petrópolis, e são agendados após triagem remota pelo aplicativo Sasi, que conta com uma equipe específica para orientação e atendimento médico aos policiais.

    Segundo a capitã Andressa Lopes, farmacêutica bioquímica do laboratório do hospital, o teste rápido é realizado com os pacientes que tenham sintomas há pelo menos 10 dias, que é quando o diagnóstico por essa metodologia se torna mais efetivo.

    O teste rápido é capaz de detectar não só a infecção ativa pelo novo coronavírus
    O teste rápido é capaz de detectar não só a infecção ativa pelo novo coronavírus | Foto: Rell Santos/Secom

    “Ele (o resultado) sai com o tempo de 10 a 20 minutos, e a gente já entrega o laudo no mesmo dia para o policial se consultar com o médico e observar qual vai ser a conduta médica com relação a ele, se vai permanecer afastado ou não”, explicou.

    O teste rápido é capaz de detectar não só a infecção ativa pelo novo coronavírus, quando é identificada a presença de anticorpos do tipo IGM na amostra de sangue, mas também a provável imunidade desenvolvida pelo paciente após a infecção, quando há presença de anticorpos IGG.

    “Se o paciente é IGM positivo, ele ainda é afastado até completar 21 dias. Se ele tem o IGG positivo, e o IGM negativo, esse militar tem cicatriz sorológica e consegue voltar a desempenhar as suas atividades normalmente”, informou o capitão médico Manoel Coelho.

    Neste último caso, os cuidados de prevenção devem ser mantidos no dia a dia, pois os estudos sobre a reinfecção por Covid-19 ainda são inconclusivos.

    | Foto: Rell Santos/Secom

    Outras ações

    A realização dos testes rápidos é apenas uma das medidas adotadas pela Polícia Militar durante a pandemia. Diariamente, os policiais em serviço também recebem Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como máscaras, luvas e álcool gel, que estão sendo distribuídos desde o dia 23 de março como forma de prevenção.

    Além disso, estão sendo realizados mutirões de limpeza e descontaminação interna e externa em todas as viaturas administrativas, táticas e especializadas, lanchas e Unidades Operacionais. O processo de higienização é feito com aplicação de ozônio, que diminui as chances de proliferação do novo coronavírus.

    “O alto comando da polícia, junto com a Secretaria de Segurança, começou a adotar medidas visando prevenir o policial militar que está nas ruas para que ele não fosse fonte de contágio das pessoas e não fosse contaminado em razão da pandemia”, afirmou o chefe do Estado Maior da PM, coronel Ronaldo Negreiros.

    Os policiais também estão recebendo vacinação contra H1N1
    Os policiais também estão recebendo vacinação contra H1N1 | Foto: Rell Santos/Secom

    Imunização

    A Polícia Militar também está realizando, desde o último sábado (25), a campanha de vacinação contra H1N1 para os membros da corporação que atuam nas Unidades Operacionais da capital. Posteriormente, a medida será estendida às equipes administrativas e civis e ao efetivo do interior do estado.

    Segundo o subdiretor de Saúde da PM, tenente-coronel Ken Fujimoto, foram disponibilizadas 5.500 doses da vacina nesta primeira etapa.

    “O Governo do Estado e o Comando Geral, preocupados com a saúde dos policiais militares, lançaram a campanha de vacinação no sábado, e ela deve se estender até o último policial ser vacinado. O objetivo é deixar menos vulnerável o nosso policial militar que está diuturnamente nas ruas fazendo a nossa segurança”, disse.

    Ambulância

    Para auxiliar no transporte dos policiais que precisarem de atendimento nas unidades de saúde, o Governo do Estado entregou ao Comando Geral da PM uma ambulância exclusiva para o hospital da corporação. O veículo, recuperado pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), vai atender tanto os policiais em serviço quanto aqueles que estão em casa.