Fonte: OpenWeather

    Auxílio Emergencial


    'Queremos senhas', gritam manifestantes em agência bancária de Manaus

    Autônomos e pessoas de baixa renda se aglomeraram na frente da agência da Caixa Econômica Federal da avenida Autaz Mirim, na Zona Leste de Manaus, e fecharam a via pedindo por atendimento

    A manifestação tomou a avenida Autaz Mirim
    A manifestação tomou a avenida Autaz Mirim | Foto: Divulgação

    Manaus – Uma grande aglomeração e revolta marcou o início da tarde desta terça-feira (28), em frente a uma agência bancária da Caixa Econômica Federal, localizada na avenida Autaz Mirim, no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus. Autônomos e famílias de baixa renda fecharam a via pública por volta de meio-dia, em protesto pela demora no atendimento. Muitos afirmaram terem dormido nas extensas filas e não terem conseguido sacar o valor disponibilizado pelo recurso.

    No lugar, crianças de colo, gestantes e idosos se aglomeravam nas filas que seguiam desde a porta da agência bancária até às ruas nas adjacências. Várias denúncias eram feitas pelas pessoas nas filas, dentre elas, a falta de respeito ao atendimento para os grupos prioritários e a venda de vagas na fila por valores entre R$ 80 e R$100. Aos gritos conjuntos, eles pediam por senhas. 

    A maioria das pessoas informou estarem na fila por não conseguir realizar a transferência de forma digital, devido ao congestionamento no aplicativo. A revolta das pessoas pela desorganização acabou resultando no fechamento da via, que ficou interditada por aproximadamente 30 minutos. Agentes do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) estiveram no lugar.

    Para conter os manifestantes e liberar a via pública, equipes da Polícia Miliar lançaram spray de pimenta para dispersar as pessoas. Um homem chegou a ser detido, mas foi liberado posteriormente.

    “Sou pai de família, tenho filhos para criar e nunca estive em nenhuma delegacia. É inadmissível os policiais lançarem spray de pimenta sobre nós, que só queremos ter um atendimento digno que é nosso direito”, disse Domael Queiroz, que buscava atendimento no lugar.

    O Em Tempo entrou em contato com a Caixa Econômica Federal, para questionar as denúncias e quais serão os procedimentos adotados no local, mas até à publicação da matéria não houve recebimento de resposta. 

    Veja o vídeo gravado no local da manifestação:

    Aos gritos, todos pediam por senhas | Autor: Divulgação