Fonte: OpenWeather

    Aglomeração


    Aglomeração e fila gigantesca em agência da Caixa em Manaus

    Na fila, as pessoas não estavam respeitando o distanciamento mínimo

    A Caixa orienta que as pessoas devem ir à agência apenas no dia certo, conforme calendário | Foto: Andreza Miller

    Manuas- Nas primeiras horas desta quarta-feira (29), uma aglomeração começou a se formar em frente à agência da Caixa Econômica Federal, localizada na Rua Flórida, Cidade Nova, Zona Norte de Manaus. Cerca de 300 pessoas se amontoavam à espera de atendimento. Foi liberado nesta segunda-feira (27), o saque presencial do auxílio emergencial de R$ 600.

    O número excessivo de pessoas nas filas das agências Caixa tem preocupado e provocado grande questionamento
    O número excessivo de pessoas nas filas das agências Caixa tem preocupado e provocado grande questionamento | Foto: Andreza Miller

    Muita gente que tem direito ao auxílio emergencial não está conseguindo fazer o saque. Por isso, as filas só crescem nas agências da Caixa de todo o Estado. Apesar da orientação para que se evite aglomerações, o número excessivo de pessoas dificulta o distanciamento entre elas. Para tentar reduzir a aglomeração, a liberação do dinheiro está sendo feita de forma escalonada, de acordo com o mês de nascimento.

    A autônoma Ana Paula Lima contou ao Portal Em Tempo que deveria ter sacado o benefício, mas não conseguiu pegar senha para o atendimento. Ela retornou nesta quinta, depois que o marido sai de casa para ficar na fila. Ele estava lá desde às 6h da manhã. Pela internet, ela confirmou que o cadastro foi aprovado.

    “Nas outras vezes, eu acho que não me informaram direito, ou eu passei alguma coisa errada. Me falaram que eu vou receber o dinheiro e que ia chegar os dados da conta digital no meu celular, mas até hoje nada. Eu estou passando fome aqui na fila, ainda nesse sol. E quem não tem dinheiro para se alimentar ou só da passagem de ônibus, fica como? O que nos resta é ter paciência e esperar," enfatizou Ana Paula.

    Ana Paula Lima | Autor: Enderson Cesar
     

    Mesmo em dias separados, na manhã desta quarta-feira, os funcionários das agências da Caixa estavam com dificuldade para manter as pessoas afastadas umas das outras. Por volta de 12h, a fila dobrava até rua TV Soledade e continuava por todo o quarteirão. Muito próximos, alguns até conversavam, sem máscaras, sentados nas muretas das lojas fechadas, quase que encostados uns nos outros.

    O que tem intensificado o problema é que muitas pessoas precisam ir mais de uma vez na agência para tentar resolver um problema de instabilidade no aplicativo CAIXA TEM, que gera um código autorizador de saque na data prevista de cada aniversário.

    O autônomo Alcenir de Souza Brasil está tentando gerar este código desde  última segunda-feira (27), e foi pela segunda vez na agência da Cidade Nova.

    "Nós estamos desde 4h30 da manhã tentando pegar uma ficha para resolver o nosso Auxílio Emergencial. Criaram um aplicativo que não serve de nada. Nunca abre, quando chega na minha vez acaba as fichas de atendimento," disse o autônomo.

    Alcenir de Souza Brasil | Autor: Enderson Cesar
     

    Nota da Caixa Econômica Federal

    Em um comunicado divulgado nesta terça-feira (28), a Caixa pede para que os clientes evitem aglomerações nas agências durante o saque da parcela do auxílio emergencial de R$ 600, pagas pelo Governo Federal durante a pandemia do coronavírus.

    Os cadastrados que tiveram o benefício aprovado têm direito a três parcelas de R$ 600 cada.

    "Para atender quem mais precisa, teve início nesta semana o calendário escalonado de saque em espécie do auxílio emergencial nas agências, casas lotéricas e correspondentes Caixa Aqui para os beneficiários da Poupança Social Digital. O escalonamento foi pensado justamente para evitar a busca massiva às agências, no momento em que se recomenda evitar aglomerações", diz o comunicado.

    Na hora de ir à agência é importante ter em mente que seguir alguns procedimentos pode ajudar na hora de realizar o saque
    Na hora de ir à agência é importante ter em mente que seguir alguns procedimentos pode ajudar na hora de realizar o saque | Foto: Andreza Miller

    Segundo a Caixa, a maior parte das filas e aglomerações são formadas por pessoas que não fazem parte do público-alvo do atendimento presencial, ou seja, são clientes em busca de serviços essenciais.

    Como sacar o Auxílio Emergencial 

    Além dos caixas eletrônicos da Caixa, o saque pode ser realizado nas lotéricas e nos correspondentes CAIXA AQUI. Desde 9 de abril, o Auxílio Emergencial beneficiou 15,2 milhões, que receberam ao todo R$ 27,7 bilhões. 48,4 milhões de cidadãos se cadastraram para receber o benefício.

    Calendário para saque:

    27 de abril – nascidos em janeiro e fevereiro

    28 de abril – nascidos em março e abril

    29 de abril – nascidos em maio e junho

    30 de abril – nascidos julho e agosto

    4 de maio – nascidos em setembro e outubro

    5 de maio – nascidos em novembro e dezembro

    Os trabalhadores podem sacar o auxílio nos caixas eletrônicos e casas lotéricas de todo o país, sem a necessidade de usar um cartão. Ainda assim, é preciso solicitar a retirada por meio do aplicativo Caixa TEM. Até o momento, não foi informada nenhuma outra forma de solicitar o saque.

    Atendimento nas agências 

    As unidades da Caixa seguem funcionando das 10h às 14h para atendimento presencial no interior das agências apenas para serviços sociais essenciais, como saque sem cartão e senha de benefício do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Seguro Desemprego e Defeso, Bolsa Família, Abono Salarial e  Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), desbloqueio de cartão e senha de contas, saque sem cartão ou senha de contas correntes e poupanças que recebam crédito de salário, além de abastecimento e processamento de depósitos realizados nas máquinas de autoatendimento.

    Atendimento nas lotéricas 

    Nas unidades lotéricas, os clientes também estão sendo orientados a manter distância mínima de 1 metro para o próxima da fila, como forma de contribuir para a contenção da pandemia, conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS).