Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    Ministro anuncia resultado sobre uso da cloroquina e 21 mi de testes

    Testagem terá método desenvolvido pelo IBGE

    A reunião ocorreu neste domingo (3) na sede do governo do Amazonas, em Manaus | Foto: divulgação

    Manaus - Em reunião com o governador do Amazonas, Wilson Lima e secretário-executivo do Ministério saúde, general Eduardo Pazuello, o Ministro da Saúde, Nelson Teich, anunciou que o Brasil vai contar com um programa de testagem rápida para identificar a Covid-19. O total entre 20 a 21 milhões de testes vai começar na próxima semana e o IBGE vai definir quais grupos serão testados. Além disso, vai ser divulgado na semana que vem o resultado sobre um estudo do uso da cloroquina. A reunião ocorreu neste domingo (3) na sede do governo do Amazonas, em Manaus.

    “Estamos com um estudo em andamento em 100 hospitais. Semana que vem teremos um resultado sobre o uso da cloroquina. É uma avaliação preliminar sobre a eficácia”, revela o Ministro. E acrescenta que outros medicamentos também estão sendo testados.

    De acordo com o general Eduardo Pazuello, foi feito um contrato de aporte de insumos para que as quatro grandes empresas fabricantes de respiradores de São Paulo possam produzir em grande quantidade os respiradores.

    “Essa produção está impactada. É um número de 180 a 200 respiradores por semana. Número muito pequeno como um todo. Estamos buscando outras alternativas. Tivemos briefing com empresas que estão lançado protótipos e paralelo a isso, estamos buscando compras no exterior de uma maneira direta, evitando o atravessador para fazer o processo rápido”, diz Eduardo.

    Pelo menos 270 profissionais de saúde estão vindo para Manaus entre eles médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, biomédicos e fisioterapeutas.

    O Ministro finalizou que o Ministério está mapeando o Brasil inteiro. “Hoje conseguimos antecipar locais onde a doença possivelmente vai crescer rápido. E vamos intervir precocemente para evitar que danos maiores aconteçam”, explicou Nelson.