Fonte: OpenWeather

    Serviço


    Saiba o passo a passo para acessar o SOS Funeral

    Saiba quem pode usar o serviço, para onde ligar e quais são as providências a serem tomadas desde a hora do falecimento até o sepultamento.

    No período da pandemia o funcionando do SOS Funeral segue todos dos dias e 24h
    No período da pandemia o funcionando do SOS Funeral segue todos dos dias e 24h | Foto: Lucas Silva/Em Tempo

    Manaus - A morte é um assunto delicado para muitos,

    principalmente quando a perda é um ente querido. Com a pandemia da

    Covid-19, o número de mortos cresceu nos últimos meses no Amazonas. Por este

    motivo, aumentaram as dúvidas relacionadas aos tramites legais para o funeral.

    Em Manaus, a Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania

    (Semasc) oferece o serviço SOS Funeral que atende famílias em situação de

    vulnerabilidade se cobrar valores financeiros.

    Entenda como funciona o serviço fúnebre

    oferecido pela prefeitura, por meio da Semasc. O trabalho do SOS Funeral é regido pelo decreto nº 0605, de 20 de julho

    de 2010. O atendimento é destinado a pessoas em situação de vulnerabilidade

    social e econômica, buscando auxiliar o disposto acerca das concessões de

    benefícios eventuais. 

    De acordo com a assessoria da secretaria, não é necessário um cadastro

    prévio para utilizar o serviço, o atendimento é feito quando solicitado. No período da pandemia

    o funcionando do SOS Funeral segue todos dos dias e 24 horas.

    O serviço recebe quem faz o chamado, sem distinção da causa da

    morte, afinal, quem atesta a razão da morte é um médico. A equipe trabalha com

    os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) que garante proteção os

    trabalhadores. No entanto, o SOS Funeral não atende mortes decorrentes de

    assassinatos e brutais, pois essa remoção compete ao Instituto Médico Legal

    (IML).

    O serviço recebe quem faz o chamado, sem distinção da causa da morte, afinal, quem atesta a razão da morte é um médico
    O serviço recebe quem faz o chamado, sem distinção da causa da morte, afinal, quem atesta a razão da morte é um médico | Foto: Lucas Silva/Em Tempo

    Como buscar o serviço

    Pode-se entrar em contato com o SOS

    Funeral pelos números, 0800 280 8087/ (92) 3215-2649 ou 3631-9983. A solicitação do serviço, também pode ser na sede da Semasc (Avenida Ayrão com Ferreira

    Pena, bairro Centro), o atendimento é de segunda a domingo.

    Documentos necessários

    É necessário ter originais e cópias do

    Registro Geral (RG) e Cadastro de Pessoa Física (CPF) do responsável legal do

    falecido. Os documentos da pessoa que morreu também devem ser apresentados (RG

    e CPF) com os originais e cópias. A declaração de óbito  é um documento

    exigido e deve-se apresentar quatro cópias e o documento original.

    Documentação necessária para o

    cartório

    Sempre será necessário os documentos

    do responsável, RG, CPF, e comprovante de residência (original e cópias).

    Documentos do falecido são: RG, CPF, Título de Eleitor, certidão de casamento

    (caso seja casado) ou certidão de nascimento (no caso de solteiros), além da

    declaração de óbito (guia amarela) e comprovante de residência.

    Os documentos do falecido devem ser apresentado sempre com cópia e originais
    Os documentos do falecido devem ser apresentado sempre com cópia e originais | Foto: Lucas Silva/Em Tempo

    Em caso de morte em casa

    O familiar responsável deve primeiro

    realizar um Boletim de Ocorrência (B.O) pela internet na Delegacia Interativa http://www.ssp.am.gov.br/registro-de-b-o/  ou procurar uma delegacia mais próxima quando a morte acontece em casa. Após isto, deve-se ligar para o SOS

    Funeral, assim o corpo só deve ser removido com a autorização da família para o

    translado até a unidade hospitalar.

    Depois de a expedição da declaração de

    óbito feita por um médico na unidade hospitalar credenciada, o corpo é liberado

    para continuação do translado com a devida autorização da família. Daí em

    diante, com a declaração de óbito, o corpo é levado para a base de conservação

    do Cemitério Nossa Senhora Aparecida (Avenida do Turismo, nº 107, bairro Tarumã, zona Norte de Manaus).

    No cemitério

    O responsável, deve levar

    todos os documentos para o sepultamento ou cremação na administração do

    cemitério. É importante citar que caso a família já tenha sepultura, ela deverá

    ir com o responsável do jazigo na administração do cemitério para os tramites

    de abertura de sepultura familiar. Caso os familiares não tenham essa espécie

    de sepultura, o próprio cemitério define o espaço para o sepultamento.

    Confira dicas de prevenção ao coronavírus:

    Coronavirus

    >