Fonte: OpenWeather

    Denuncia


    Vídeo mostra barraco com enfermeira após exame negado no Platão Araújo

    Conforme a família da paciente, tudo começou após uma enfermeira negar a realização de um eletrocardiograma

    | Foto: divulgação

    Manaus - Conforme gravação em vídeo, uma técnica de enfermagem em Manaus teria se recusado a realizar um exame de eletrocardiograma na paciente Dinar Ferreira dos Santos, que testou positivo para o novo coronavírus (Covid-19). O caso, segundo a família da paciente, ocorreu no Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo, localizado na avenida Autaz Mirim, no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus, onde as imagens foram gravadas. O caso repercutiu na web esta semana. (Assista ao vídeo no final da matéria)

    Na última quinta-feira (7), uma sobrinha da paciente conversou com o Portal Em Tempo sobre o caso. "Fomos no Platão levar a minha tia passando muito mal, fomos super bem atendidos pelos funcionários.. Fizemos a ressonância, medicamentos e oxigênio, até o momento estava tudo bem. Até chegar na parte do eletrocardiograma", destacou o familiar. 

    Ainda conforme a entrevistada, a paciente foi mandada para a sala rosa sem fazer o eletrocardiograma. "Ao chegar na sala, a enfermeira perguntou é Covid-19? A minha tia respondeu que sim. Então, ela [tia] foi mandada para a sala rosa, onde fica os contaminados ou com suspeita, Fomos para a sala rosa e outra enfermeira nos informou que não era nesse local, que a minha tia deveria ficar," disse Francisca Ferreira, sobrinha da paciente.

    Em um vídeo divulgado nas redes sociais, a família da paciente afirma que uma das enfermeiras do hospital se recusou a fazer um eletrocardiograma em uma paciente. Segundo os familiares, o médico pediu que Dinar Ferreira fizesse um eletrocardiograma para verificar se a dosagem de cloroquina havia causado alterações nos batimentos cardíacos.

    "Minha tia deitou na maca e tirou a parte de cima da roupa. A enfermeira colocou os eletrodos, mas percebeu que a tomada não era compatível e foi aí que tudo começou. A enfermeira olhou para as outras colegas de trabalho e falou procurem uma sala com uma maca, senão eu não atendo. As enfermeiras falaram que podiam atender na sua sala, que está toda equipada, mas a primeira enfermeira novamente falou que não ia atender," explicou Francisca.

    Analisando o vídeo, é possível identificar parte da conversa entre a família e a enfermeira. A profissional de saúde se recusou e disse que a paciente está com o novo coronavírus, e que a ordem veio da gerência do hospital.

    Conforme a família, outros enfermeiros aconselharam os familiares a denunciar o caso aos órgãos competentes. "O técnico de enfermagem Silvio Mendonça se prontificou a realizar o exame", explica a sobrinha.

    "Ficamos duas horas no corredor, e minha tia com todos os eletrodos Procurei a gerência, mandaram eu aguardar, e aguardei uma hora e meia. Bati incansavelmente em uma porta de uma sala do hospital, e foi quando um enfermeiro chamado Silvio Mendonça nos atendeu. Expliquei a ele toda e situação e resolveu conversar com a enfermeira. Ela gritava na sala que não ia atender e disse ao Sílvio que era ordem da gerência," completou.

    Susam

    A reportagem entrou em contato com a Secretária de Saúde do Estado do Amazonas (Susam), que informou que a direção do Hospital e Pronto-Socorro Aristóteles Platão Bezerra de Araújo informa que a paciente Dinar Ferreira dos Santos foi atendida e o Eletrocardiograma, exame solicitado, foi devidamente realizado. 

    Quanto à funcionária que se recusou a fazer o atendimento, a direção do Hospital informa que medidas administrativas estão sendo tomadas junto à Susam.

    Veja o vídeo:

    | Autor: Divulgação