Fonte: OpenWeather

    Assistência Social


    Manaós Grupo oferece assistência a populações tradicionais do Amazonas

    Em meio à pandemia, o trabalho dos voluntários tem sido cada vez mais importante

    Assista à entrevista na íntegra | Autor: Tatiana Sobreira/ WEB TV Em Tempo

     

    O grupo é composto por voluntários de diversas áreas
    O grupo é composto por voluntários de diversas áreas | Foto: Divulgação

    Manaus - A pandemia do novo coronavírus tem causado uma série de prejuízos e tragédias à sociedade, especialmente em uma parcela da população que já sofria com deficiências de amparo social: as comunidades tradicionais de ribeirinhos e indígenas. Por estarem localizadas em pontos distantes da capital, a oferta de serviços básicos sempre foi um desafio, entretanto, tem ficado cada vez mais difícil uma vez que um decreto estadual impede o tráfego de pessoas e mercadorias.

    Pensando nisso, a jornalista Tatiana Sobreira entrevistou Carlos Foxx, responsável por um projeto de assistência a essas populações, em mais um programa ‘Papo Franco’ para discutir de que maneira os serviços estão chegando a essas localidades.

    Carlos Foxx é um dos fundadores do ‘Manaós Grupo’, cujo o principal objetivo é levar serviços de assistência às comunidades. Há 9 anos, o grupo oferece atendimentos médicos na área odontológica, fisioterapêutica, psicológica, consultas de rotina e também efetua doações.

    A equipe atende comunidades ribeirinhas e indígenas que ficam localizadas em áreas distantes
    A equipe atende comunidades ribeirinhas e indígenas que ficam localizadas em áreas distantes | Foto: Divulgação

    Segundo Carlos, a ideia de criar o Manaós surgiu após uma ação de fim de ano, na qual ele doou brinquedos para crianças da área ribeirinha, onde ele possui uma casa flutuante. No entanto, com o passar do tempo, as deficiências de serviços básicos foram se revelando. A partir disso, ele convidou alguns amigos que trabalhavam na área da saúde.

    Desde então, o grupo tem atuado sem nenhum tipo de vínculo religioso ou partidário e não se sabe ao certo quantas comunidades foram visitadas durante esse tempo. Presentemente, em função da necessidade de isolamento, os serviços presenciais foram suspensos.

    Qualquer um pode se candidatar a voluntariado uma vez que além da equipe médica, eles precisam efetuar outras tarefas
    Qualquer um pode se candidatar a voluntariado uma vez que além da equipe médica, eles precisam efetuar outras tarefas | Foto: Divulgação

    Apesar do distanciamento, o Manaós Grupo tem prestado assistência online àqueles que estão apresentando sintomas da doença. Além disso, em face do bloqueio do transporte fluvial, a equipe tem arrecadado alimentos e distribuindo cestas básicas  e medicamentos em alguns locais, sempre efetuando os protocolos de segurança e prevenção ao coronavírus.

    A arrecadação é feita entre os voluntários e através de uma vaquinha online, chamada “Ribeirinhos Isolados”, que possibilita a compra e distribuição de mais mantimentos para as populações. Tendo em vista que nem todos têm como doar algum valor, Carlos reforça que toda ajuda é bem-vinda. Seja doação ou até mesmo divulgação do trabalho do grupo através das redes sociais.

    A equipe está levantando recursos através de um site
    A equipe está levantando recursos através de um site | Foto: Divulgação

    Link da vaquinha de arrecadaçãohttp://vaka.me/979755 

    Instagram do grupohttps://www.instagram.com/p/B9UQvW4BGoa/ 

    Confira mais informações sobre as ações de auxílio às comunidades no programa Papo Franco, da Web TV Em Tempo:

    Assista à entrevista na íntegra | Autor: Tatiana Sobreira/ WEB TV Em Tempo
     

    *Colaborou Web TV Em Tempo/ Tatiana Sobreira