Fonte: OpenWeather

    Combate ao Coronavírus


    Ativista sueca Greta Thunberg vai lançar campanha pela Amazônia

    A jovem ativista ambiental respondeu um apelo do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, sobre o pedido de ajuda à Amazônia durante a pandemia do Covid-19

    No início de maio, Arthur enviou um vídeo institucional à ativista sueca, enfatizando o estado de calamidade que a capital vive
    No início de maio, Arthur enviou um vídeo institucional à ativista sueca, enfatizando o estado de calamidade que a capital vive | Foto: Márcio James/Divulgação

    Manaus - “Eu sabia que da Greta viria coisa boa e, agora, espero que ela possa estimular líderes mundiais a ajudarem nossa região, que precisa de toda a atenção nesse momento”, disse o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, ao receber a resposta da ativista ambiental sueca Greta Thunberg,  sobre o pedido de ajuda à Amazônia durante a pandemia do Covid-19, causada pelo novo coronavírus. A declaração foi feita nas redes sociais nesta quarta-feira (13). 

    No início de maio, Arthur enviou um vídeo institucional à ativista sueca, enfatizando o estado de calamidade que a capital vive, solicitando a cooperação de Greta para salvar a vida do povo da floresta, como ele se referiu no material, visto que o Amazonas tem 96% da sua floresta em pé, sendo grande contribuinte para a saúde ambiental do planeta.

    “Greta agiu. Tomou uma decisão madura e pensada em fazer essa comunicação aos principais líderes mundiais. Eu devo dizer ‘muito obrigado’ e reforçar que nós estamos em pé, na luta, porque é em pé que se vence uma luta”, pontuou Arthur, acrescentando que formalizará outra carta à ativista, para alinhar estratégias de combate à doença não só na capital, mas em toda a Amazônia.

    Segundo o prefeito de Manaus, o agravamento da pandemia da Covid-19 no Amazonas pode acarretar recessão da economia, gerando fome e miséria, e fazendo com que a população chegue ao extremo de avançar sobre a floresta para sobreviver. “É tudo o que não queremos e estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance para impedir isso”, frisou.

    Crise

    Com o cenário de crise que vive não só Manaus, mas também o Amazonas, Arthur tem promovido mobilizações globais, solicitando o reforço de países ricos no combate à Covid-19 na região amazônica, que já registra, inclusive, morte de indígenas.

    “A questão amazônica começa a se tornar, efetivamente, um debate mundial. Deixa de ser uma questão local. Ou nós salvamos o principal antídoto ao aquecimento global ou nós perderemos os nossos rios e florestas”, finalizou o prefeito Arthur Virgílio Neto.

    *Com informações da assessoria