Fonte: OpenWeather

    Covid-19


    Em Manaus há cerca de 85 mil portadores da Covid-19, afirma pesquisa

    O estudo tem como base os números de contaminados em Manaus e o índice de mortes e enterros que geraram recordes no mês de abril

    O alerta é para o distanciamento social em Manaus
    O alerta é para o distanciamento social em Manaus | Foto: Lucas Silva

     

    Manaus – A afirmação foi feita na manhã desta segunda-feira (18) pelo professor e pesquisador da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Alexander Steinmetz no estudo denominado  ‘Curva epidemiológica da Covid- 9 em Manaus’, durante transmissão promovida pelo Governo do Estado do Amazonas. Entre as conclusões obtidas pela equipe está a afirmativa de que 85 mil pessoas estejam como portadoras da Covid-19 somente na capital. 

    Esse número foi obtido por meio de estudos da curva de transmissão do vírus somente em Manaus. Com a percepção de dados divulgados pela Fundação de Vigilância e Saúde do Amazonas (FVS-AM) e enterros na capital, foi possível chegar a este resultado. Alexander afirma que mesmo sem a confirmação dos primeiros casos de Coronavírus no mundo, a doença já estava se espalhando. 

    “Pesquisas mostram que as doenças já estava se espalhando, mesmo sem casos confirmados, principalmente por conta dos assintomáticos”, explicou. 

    Manaus conta com apenas 40% de isolamento, o ideal é 60%
    Manaus conta com apenas 40% de isolamento, o ideal é 60% | Foto: Lucas Silva

    Conforme pesquisa, Manaus conta atualmente com 40% de isolamento. O ideal é acima de 60%, pois, há muitas pessoas que estão com o vírus no corpo, mas não apresentaram sintomas. O risco é ainda maior, pois, muitos continuam circulando na cidade tendo como motivo não ter sido contaminado pelo vírus. Alexander alerta: “Eu não sei se a gente pode falar de um controle se há 85 mil pessoas que são passíveis de transmitir o vírus nas próximas semanas”, disse de forma enfática. 

    Especialista da Ufam explica o estudo da curva de transmissão
    Especialista da Ufam explica o estudo da curva de transmissão | Foto: reprodução

    Em defesa do isolamento

    O pesquisador defendeu a continuação do distanciamento social como medida contra o vírus. Embora as máscaras tenham contribuído significativamente para a diminuição de casos, não é o essencial para o momento. 

    “Quanto mais rígidas as medidas nesse momento, mais chances de sair dessa onda explosiva de contaminação. Isso ajudará a reduzir esse número de contaminados, quanto mais rígidas e adesão da população, melhor”, declarou. 

    O estudo aponta que de 10% a 15% da população de Manaus já foi contaminada e que infecções diminuem lentamente. A recomendação feita pela pesquisa é que  haja a continuidade e fortalecimento de medidas de distanciamento social; e o uso de máscaras por toda a população. 

    Sobre o estudo 

    O especialista explica que a pesquisa foi dividida em dois grupos com duas metodologias. Ele afirma que as uniões das duas metodologias resultaram em dados robustos e que se complementam. Um grupo se baseou nos dados da FVS e outros óbitos e sepultamentos no portal da transparência registro civil e prefeitura de Manaus.

    Metodologia 1: Foram avaliados e cruzados 1700 casos até 20 de abril com primeiros sintomas, data de internação e tempo de recuperação. 

    Metodologia 2- Dados de sepultamento (com o atraso de uma semana), dados de letalidade por infecção, suposição de exposição ao vírus até a ocorrência do óbito.

    Participantes da pesquisa: Alexandre Celestino Leite Almeida (DEMF-UFSJ), Celso Rômulo Barbosa Cabral (DE-UFAM), Diego da Silva Souza (DE-UFAM), Jeremias da Silva Leão (DE-UFAM), José Justino da Costa (DE-UFAM), Luiz Duczmal (DE- UFMG), Max Sousa de Lima (DE- UFAM), Sandro Barbosa Bitar (DM- UFAM), Silvia Dias de Souza (DM-UFAM), Alexander Steinmetz (DM-UFAM). 

    Assista ao Web TV News  na Web TV Em Tempo:

    Confira dicas de prevenção ao coronavírus:

    Coronavirus

    >