Fonte: OpenWeather

    Devoção


    Santos juninos são lembrados por fiéis e marcam comemorações em casa

    De acordo com os fiéis, devido à pandemia a programação religiosa será acompanhada pelas redes sociais e as comemorações serão feitas em casa com a família

    Famílias comemoram em casa | Foto: Lucas Silva

    Manaus – No mês de junho, três grandes nomes da igreja católica são celebrados pelos fiéis: Santo Antônio (13 de junho), São João Batista (24 de junho) e São Pedro (29 de junho). As comemorações marcam as festas juninas e é por meio delas que muitas pessoas vão as ruas em procissão pedir intervenções, realizar promessas e agradecer pelas bênçãos. Mesmo com a pandemia, os devotos realizaram os ritos sem quebrar a quarentena.

    As festividades foram trazidas ao Brasil durante a colonização pelos portugueses e antes de serem consideradas cristãs possuíam origem pagã. Elas eram comemoradas para celebrar o início da colheita no solstício de verão iniciado em junho, com isso vários povos se uniam na data para realizar ritos e pedir fartura. Já os indígenas que habitam o país brasileiro antes da colonização, também celebravam a agricultura na mesmo época cantos, danças e muita comida, assim os costumes indígenas e o caráter religioso se uniram e originaram os festejos juninos. Com o decorrer dos séculos, as festas juninas foram adaptadas para o público moderno, com canções e comidas típicas que marcam a celebração.

    Santo Antônio

    De acordo com a religião católica, Santo Antônio nasceu em Lisboa, em data não definida no ano de 1915 e é conhecido como santo dos pobres e do casamento, por ter ajudado moças pobres a conseguirem os dotes para o casamento. O santo possui um grande apelo popular e a celebração a ele é realizada no dia 13 de junho, a entidade religiosa é procurada por casais que buscam o matrimônio, o santo também tem fama de ajudar na hora das reconciliações amorosas e amizades. Segundo o conhecimento popular, quem busca ter os milagres realizados por Santo Antônio precisa realizar algumas simpatias para o padroeiro, para quem deseja casar, por exemplo, o rito é amarrar um fio de cabelo do companheiro ou companheira, depois, coloque debaixo dos pés uma imagem do santo e aguarde o padroeiro realizar o pedido. Há também a famosa distribuição de pães que para os fiéis simbolizam fartura e traz boa sorte para quem busca o casamento.

    Para o jornalista Jorge Miguel que é devoto do santo, a benção do casamento ocore de maneira natural devido ao encontro com sua esposa ter sido por meio as bençãos de Santo Antônio. 

    “Conheci minha esposa durante a procissão de Santo Antônio, desde então ficamos amigos e passamos a frequentar juntos a igreja do santo assim como as procissões. Em comemoração ao nosso encontro decidimos casar no dia 13 de junho, dia de Santo Antônio, estamos juntos a seis anos e já recebemos muitas bênçãos por intermédio dele”, contou. 

    Jorge relembrou a benção promovida pelo santo por meio da cura de sua esposa que durante a gestação desenvolveu um tumor cancerígeno no sistema linfático e por meio da fé no santo conseguiu a cura.

    “Acreditamos que Santo Antônio nos ajudou e por meio da nossa fé nele minha esposa foi abençoada com a cura. Sempre tivemos muita fé e quando recebemos a notícia da doença fizemos nossas orações ao santo e um ano após o tratamento ela estava curada”, relembrou Jorge. 

    Para agradecer e comemorar o dia do santo casamenteiro, Jorge e a família participavam de toda a programação da igreja e depois se reuniam para comemorar entre si. Com a pandemia, a programação será acompanhada pela internet e a celebração feita em casa.

    “Vamos assistir a missa pela internet e acompanhar toda a programação de Santo Antônio on-line. Como estamos em isolamento, estou planejando realizar um pequeno arraial para minha esposa e filho, em qie possamos celebrar a data religiosa e também a nossa união”, destacou o jornalista. 

    São João

    O santo é o único no qual os fiéis comemoram o dia de sua morte e seu nascimento. São João é lembrado por ser a entidade que constituiu o batismo por meio da imersão de pessoas na água simbolizando a purificação. Uma das tradições que marcam o dia 24 de junho é a lavagem do santo e as bandeirinhas que simbolizam as mergulhadas na água como forma de abençoar as festas.

    São João também é celebrado como santo festeiro, o que dá origem a festa junina que possui esse nome em homenagem ao santo, durante as festividades é comum que os brincantes soltem fogos de artificio para acordá-lo, já que segundo a crença o santo adormece no dia do seu aniversário pois, se estivesse acordado, não resistiria aos festejos e desceria à Terra, podendo se queimar na fogueira.

    O contato com São João acompanha muitos fiéis desde a infância, como conta o professor Júlio Cesar que participava da tradicional fogueira do santo nas celebrações juninas em família.

    “A minha avó sempre acendia a fogueira de São João e reunia a família para celebrar, com o passar do tempo fomos crescendo e eu acabei me voltando para as celebrações religiosas, tive a oportunidade de coordenar a comunidade do santo e me encantei pela trajetória dele e assim segui os ensinamentos que ele nos deixou”, destacou. 

    Júlio afirma que era fiel as programações da igreja que celebram a vida e a morte do santo, mas que devido a pandemia a celebração será feita de forma on-line.

    “Eu e minha família continuaremos participando da programação da igreja por meio das transmissões feitas pelo Facebook e também acompanhando a santa missa. Faremos nossas preces em casa e estaremos conectados com a comunidade de São João dessa forma até que todo esse momento passe”, afirmou o professor. 

    São Pedro

    Conhecido como o santo das causas impossíveis, o dia de São Pedro é comemorado no penúltimo dia do mês, 29 de junho. Em celebração, os fiéis participam das procissões e vão as igrejas conversar com o santo para que seus desejos sejam ouvidos. Há também diversos ritos que são realizados pelos devotos como forma de ser ouvido pelo santo. Um deles é para aqueles que desejam conquistar a casa própria, mas por motivos diversos não obtêm êxito, nesses casos a pessoa precisa escrever em um papel em branco três pedidos e como deseja sua casa, o papel deve ser coloca embaixo do travesseiro junto a uma chave nova. Perto do anoitecer mentalize que São Pedro e seus anjos estarão procurando a casa dos seus sonhos durante a noite.

    A devoção pelos santos acontece ainda na infância devido a promessas ou agradecimentos feitos por familiares. Com o estudante Igor Almeida não foi diferente. Aos cinco anos, o estudante apresentou um problema respiratório que segundo os médicos só poderia ser resolvido com cirurgia.

    “Quando minha avó recebeu a notícia de que eu passaria por uma cirurgia, ela pediu a São Pedro que me curasse para que não fosse necessário fazer o procedimento e assim ele fez, ao entregar os exames a equipe médica foi contatado que eu não tinha problema algum, desde então eu passei a me envolver nas celebrações e também nas programações da igreja”, lembrou. 

    Igor contou ainda que durante a infância se vestia de São Pedro para ir as procissões e desde então a devoção com o santo passou a ser partilhada por toda a família que anualmente vão às ruas agradecer a benção.

    “Todos os anos vamos a procissão de São Pedro. Este ano infelizmente não poderemos comemorar como de costume, mas faremos nossas rezas em casa, acompanhar os novenários e demais programações da igreja de forma remota. No dia da celebração do santo faremos comidas típicas para comemorar juntos essa data tão especial para nós”, finalizou Almeida.

    De acordo com a Arquidiocese de Manaus, as missas estão programadas para acontecer de forma online por meio de transmissões pelas redes sociais. A arquidiocese destacou ainda que pode haver alteração quanto as realizações presenciais devido ao cronograma de reabertura divulgado pelo governo. Já o tradicional arraial está suspenso devido a possibilidade de aglomerações.