Fonte: OpenWeather

    Cotidiano


    Retorno do comércio impõe novos desafios a amazonenses na pandemia

    Aglomerações e engarrafamento passaram a ser alguns problemas enfrentados pela população com a reabertura das lojas

    Engarrafamento em Manaus | Foto: Lucas Silva

    Manaus – Há pouco mais de uma semana da reabertura gradual do comércio, a população amazonense já começa a sentir as diferenças que a rotina pandêmica traz, muitos profissionais retomaram suas atividades e passaram a enfrentar novas dificuldades cotidianas devido à preocupação com o contágio do novo vírus em Manaus.

    Segmentos como vestuário, calçados, artigos domésticos e esportivos, atendimentos presenciais e templos religiosos foram alguns dos ramos do comércio que fizeram os consumidores e trabalhadores a voltarem as ruas e retornarem suas rotinas mesmo com a pandemia ocasionada pelo novo coronavírus.

    Para o médico cirurgião especializado em medicina intensiva, Felipe Fernandes, a rotina dos hospitais nas últimas semanas passa por momentos estáveis na identificação e tratamento de pessoas infectadas pelo vírus.

    Aglomerações no Centro de Manaus
    Aglomerações no Centro de Manaus | Foto: Lucas Silva

    “Obviamente a pandemia não acabou, ainda precisamos seguir as recomendações de prevenção, no entanto acredito que já passamos pelo pico dos casos e hoje estamos em um momento estável, pois há pouco casos de pacientes com sintomas graves e muitos já possuem uma recuperação mais rápida, isso deixa a equipe hospitalar otimista de que em breve a situação estará controlada por completa”, informou.

    Trânsito

    Para quem ainda está em isolamento e precisa sair de casa para realizar afazeres diversos, a mudança na movimentação das pessoas já é perceptível no fluxo de veículos da cidade como conta a advogada Natércia Cristina. 

    “Desde a semana passada, o fluxo de carros nos horários de pico tem sido intenso, claro que ainda não voltamos ao que era antes devido muitas pessoas ainda estarem em isolamento social, mas a partir de 18 horas o trânsito passa a ser insuportável, coisa que não era comum com o comércio fechado”, explicou. 

    Natércia destacou que fazer um simples trajeto ao supermercado agora demanda mais tempo devido ao fluxo intenso de veículos nas principais avenidas.

    Fluxo intenso nas ruas de Manaus
    Fluxo intenso nas ruas de Manaus | Foto: Lucas Silva

    “Procuro fazer compras no decorrer do dia, pois quando chega fim da tarde o fluxo próximo aos supermercados fica complicado. Prefiro fazer as compras ao logo no dia e demorar menos de 20 minutos para chegar do que demorar mais de uma hora para resolver tudo”, afirmou a advogada. 

    A mudança no fluxo das vias também afetou o cotidiano de quem trabalha com transporte por aplicativo, como o motorista Flaviano Menezes, que percebeu uma demora nas corridas nos últimos dias.

    “No período da manhã os rendimentos das corridas estão ficando mais baixos. Quando o fluxo está intenso eu não posso aceitar muitas corridas, pois sei que o trajeto vai demorar”, contou. 

    Flaviano destacou ainda que a quantidade de carros já voltou a normalidade e acredita que a situação deve piorar nos próximos dias.

    “As ruas estavam muito tranquilas antes do comércio abrir, agora o fluxo de carros aumentou 80% e tudo voltou a ficar mais complicado, o trânsito em Manaus já era caótico antes do isolamento acontecer e agora que tudo está voltando ao normal as pessoas vão querer sair mais e o trânsito vai parar em toda a cidade nas próximas semanas”, especulou Flaviano. 

    Aglomerações e vendas

    Aglomerações nas ruas do Centro
    Aglomerações nas ruas do Centro | Foto: Lucas Silva

    O retorno do comércio era o momento mais esperado para os lojistas. De acordo com a gerente de uma loja de vestuário, Deyse Batalha, o movimento na localidade foi tão grande que parecia vendas de fim de ano.

    “Parecia que estávamos em dezembro, muita gente veio comprar roupas, calçados e variedades. As vendas foram tão boas e inesperadas que o estoque esgotou e foi necessário fazer reposição de muitas peças e isso faz com que todos sintam esperança em recuperar o tempo perdido”, afirmou a gerente.

    A procura por material escolar e brinquedos também foi grande. A gerente de uma loja de variedades, Gisele Castro, acredita que a busca pelos produtos pode estar relacionada a opções de entretenimento para crianças que estão em casa.

    “Na semana passada a procura foi grande, todos queriam levar algo para os filhos se divertirem no isolamento e apesar de enfrentar um momento delicado os consumidores enfrentaram todas as regras impostas nesse período. Isso faz com que seja um retorno significativo para os lojistas, esperamos que as vendas continuem boas”, avaliou. 

    “É desnecessária a quantidade de gente vindo ao Centro”

    Ruas lotadas
    Ruas lotadas | Foto: Lucas Silva

    Já para aqueles que passaram semanas em isolamento social e estão retornando gradativamente as atividades, o fluxo intenso de pessoas nas ruas não é agradável. A empreendedora Marcilene Furtado, conta que considera a situação desrespeitosa. 

    “É desnecessária a quantidade de gente vindo ao Centro fazer compras, uns saem com a família inteira e até crianças de colo. Para mim que passei muitas semanas respeitando o próximo e não saindo de casa considero irresponsabilidade das pessoas”, afirmou. 

    Ainda de acordo com o médico cirurgião, não é possível prever se após a abertura do comércio o Amazonas enfrente um novo pico do vírus.

    “O vírus demora 14 dias para se manifestar no infectado, então somente após esse período é que saberemos se terá um novo pico devido a aglomerações. De todo modo, é importante que a população entenda que a pandemia não foi controlada, precisamos nos prevenir”, finalizou Felipe.

    Leia Mais: 

    Movimento de Natal, mas vendas ainda medianas no Centro de Manaus

    Sem usar máscaras, consumidores estão sendo barrados no Centro

    Casos de Covid-19 no Amazonas ultrapassam os 50 mil