Fonte: OpenWeather

    Meio ambiente


    Operação 'Curuquetê 2' une forças contra o desmatamento e queimadas

    A operação unirá forças das segurança pública e órgãos contra crimes ambientais no Amazonas em 2020 até o ano de 2022

    A operação foi lançada nesta manhã de terça-feira (16)
    A operação foi lançada nesta manhã de terça-feira (16) | Foto: Bruna Oliveira

    Manaus –  Com o objetivo de unir as ações da Segurança Pública do Estado com os órgãos ambientais em combate do desmatamento e às queimadas, foi lançada na manhã desta terça-feira (16) a operação denominada “Curuquetê 2”. O nome faz alusão a um rio de Lábrea, conhecido como rota de escoamento de madeira ilegal do Sul do Amazonas.

    Esta ação acontece de forma integrada com a “Operação Verde Brasil 2” do Governo Federal, por meio da Garantia da Lei de Ordem que atua diretamente contra o desmatamento e queimadas na Amazônia Legal. 

    O secretário da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), Eduardo Taveira, esteve na solenidade e falou sobre a importância que o Estado tem dado para a questão ambiental. Além das ações de combate à pandemia, a Sema tem trabalhado para que o número de desmatamento e queimadas registradas em 2019, não se repitam em 2020.

    “Isso demonstra que o Estado, além do combate ao Covid-19, não está deixando a desejar na proteção dos nossos recursos naturais do Amazonas. Cabe a nós essa grande atribuição de conservação dos recursos naturais. Isso demonstra a união entre o Governo do Estado, as prefeituras e o Governo Federal”, pontuou Taveira.

    Eduardo Taveira destacou a união dos órgãos ambientais com a segurança pública
    Eduardo Taveira destacou a união dos órgãos ambientais com a segurança pública | Foto: Bruna Oliveira

    União da segurança e meio ambiente

    A Segurança Pública do Amazonas dará apoio direto para o combate de crimes ambientais. A união das forças dos Bombeiros Miliares, polícias Civil e Militar do Amazonas, Defesa Civil, Polícia Técnico-Científica e demais órgãos ambientais serão para inibir o crime nas áreas de conservação e consequentemente, proteção ao meio ambiente.

    Importantes eixos da segurança pública farão parte do projeto
    Importantes eixos da segurança pública farão parte do projeto | Foto: Bruna Oliveira

    “Estamos falando de combate à criminalidade. Esse Governo prioriza a vida das pessoas e combate à intolerância e toda ilegalidade. Vale destacar que o nosso bioma é importante patrimônio nacional e para o nosso estado. Vamos trabalhar com a mão que repreende o crime e dar um braço amigo para aqueles que querem trabalhar de forma regular no Amazonas”, disse o secretário de meio ambiente. 

    Agricultor com regularidade 

    Outra questão apontada no plano dessa operação é a regularização de produtores rurais para que menos áreas sejam desmatadas no Amazonas. O diretor-presidente do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Juliano Valente, declarou que a união do Estado com a regularização dos agricultores levará o Amazonas para um novo momento de proteção ambiental. 

    O diretor presidente do Ipaam ressaltou a importância da operação no AM
    O diretor presidente do Ipaam ressaltou a importância da operação no AM | Foto: Bruna Oliveira

    “Nós tivemos as experiências dos outros anos. Isso mostra que, se o Estado não está presente, a tendência é dar a entender que tudo é flexível. Dá uma ideia que você pode cometer atos ilícitos. Não vamos combater por combater, mas levar às pessoas para a regularidade. Nosso alvo é a irregularidade, mas nos pequenos produtores que querem contribuir com a preservação”, afirmou Valente. 

    Eduardo Taveira também ressaltou que nos próximos meses serão analisados 8 mil cadastros ambientais no Amazonas. Assim o produtor poderá contribuir para este processo de forma legal. “É necessário criar um ambiente que dê condição ao agricultor de se regularizar e trabalhar com regularidade”, enfatizou Eduardo Taveira. 

    Veja a transmissão do lançamento:

    Leia mais:

    "Semana Verde Sema" inicia com respostas ambientais 

    Combate ao desmatamento e queimadas contará com R$ 88 milhões