Fonte: OpenWeather

    Você sabia?


    Confira dez curiosidades sobre a Ponte Rio Negro

    Que tal conhecer um pouco mais sobre uma das construções mais importantes do Amazonas? 'Embarca' conosco e saiba mais!

    A Ponte Rio Negro começou a ser construída durante em 2007, mas só foi inaugurada em 24 de outubro de 2011 | Foto: Tereza Cidade

    Manaus – Considerado o segundo ponto turístico mais belo da capital amazonense, a ponte jornalista Phelippe Daou é uma das principais atrações turísticas da cidade e atrai visitantes todos os dias, que desejam contemplar tal beleza. A ponte é popularmente conhecida como “Ponte Rio Negro” por oferecer  uma belíssima visão panorâmica do maior rio de águas negras do mundo, o Rio Negro. O Em Tempo montou dez curiosidades sobre um dos principais cartões postais da cidade para você conhecer melhor uma das belezas da capital amazonense.

    1 – Foram utilizadas 1,5 mi de sacas de cimentos

    A construção da ponte contou com mais de 20 toneladas de aço
    A construção da ponte contou com mais de 20 toneladas de aço | Foto: Divulgação

    A Ponte Rio Negro começou a ser construída durante em 2007, mas só foi inaugurada em 24 de outubro de 2011. A construção da ponte empregou diretamente mais de 3,4 mil profissionais em diferentes áreas de atuação. Cerca de 180 empresas fornecedoras foram contratadas, para que a ponte ficasse de pé, estima-se que 20 mil toneladas de aço e mais de um milhão e meio de sacas de cimento, foram usadas em sua construção. Além de 47 mil metros cúbicos de base solo-areia-seixo e 72 mil toneladas de revestimento betuminoso.

    Segundo o geógrafo Isaque Sousa, os altos números são justificáveis devido à grande profundidade do Rio Negro, que varia de 50 a 120 metros de profundidade e a construção precisa proporcionar segurança.

    “A construção foi feita em uma estrutura do rio que sofre constante variação, temos estruturas rochosas em sua extensão e um perímetro largo, então a ponte precisa de um grande esforço para se manter de pé e até mesmo não romper e provocar acidentes de carros e pedestres ”, explicou.

    Por conta da água ácida do rio, foi adicionada pozolana (material silicioso) ao concreto para prevenir casos de corrosão. Com a quantidade de materiais usados na obra do ponto turístico é possível construir três estádios de futebol do Maracanã, localizado no Rio de Janeiro.

    A ponte tem largura total de 20,70 metros no trecho convencional e 22,60 metros na parte estaiada. A via possui quatro faixas de tráfego, duas em cada sentido, além da faixa de passeio para pedestres nos dois lados, o investimento custou aproximadamente R$ 1,099 bilhão.

    2 - Transformação de Manaus em metrópole

    A Ponte Rio Negro é conhecida por transformar a capital amazonense em metrópole, uma vez que o acesso aos municípios ligados a capital foi constituído e a travessia por balsas e barcos destinada a cargas pesadas.

    “A ideia de unir a região metropolitana da capital com os municípios se torna concreta com a construção da ponte, pois é através dela que conseguimos ter um crescimento urbano da cidade que, na época, ultrapassou os limites que já eram conhecidos”, afirmou Isaque.

    3 -  Viabilizou as fontes de lazer

    A implantação da ponte também viabilizou as fontes de lazer e entretenimento a população amazonense, que após sua construção passou a ser atraída para praias, comunidades e passeios oferecidos nos municípios ligados pelo monumento, como explica a geógrafa, Selma Batista.

    “Por meio da ponte nós temos um contexto social ambiental e o desenvolvimento urbano ampliado, pela facilidade no percurso e compreensão de tempo e espaço as pessoas passaram a desenvolver a curiosidade de conhecer outros municípios e as atrações festivas que eles oferecem, assim como diversidade no lazer por meio das praias”, explicou.

    4 – Travessia passa antes de 40 para menos de 10 minutos

    O acesso a ponte marca o início das oportunidades para a população dos municípios
    O acesso a ponte marca o início das oportunidades para a população dos municípios | Foto: Tereza Cidade

    Com a inauguração da ponte, a travessia que antes era feita por balsas e durava cerca de 40 minutos, agora dura menos de dez minutos de carro. O monumento também viabilizou o acesso de moradores dos municípios de Iranduba, Manacapuru e Novo Airão possibilitando que o mercado de trabalho fosse unificado.

    “Hoje a ponte se tornou uma das principais vias de trajeto para quem trabalha na capital, o ponto turístico possibilitou que muitas pessoas tivessem acesso ao mercado de trabalho mais amplo como o da capital. Assim também como as oportunidades de ensino que se expandiram para os moradores dos interiores que a ponte faz ligação”, analisou o geógrafo.

    5 -  Sistema de iluminação é composto por 258 postes metálicos e luminárias a LED 

    Ponte com iluminação azul no mês de novembro
    Ponte com iluminação azul no mês de novembro | Foto: Divulgação

    O mastro luminoso que compõe a Ponte Rio Negro foi desenvolvido a partir da tecnologia de LED, a iluminação cênica da ponte possui uma combinação especial de luzes para a comemoração do Natal e virada de ano. As luzes são controladas por um sistema de software, que forma uma combinação de cores em um conjunto de 12 diferentes cenários, o que permite a criação de iluminações exclusivas para datas comemorativas.

    Em datas alusivas à saúde e a momentos históricos da capital amazonense como outubro Rosa, novembro Azul e a elevação do estado à categoria de província a ponte também sofre variação nas cores como forma de representatividade.  Em 12 de abril de 2019, o monumento recebeu iluminação verde em homenagem aos 371 anos do Exército brasileiro.

    Com o emprego das lâmpadas LED, a Ponte Rio Negro torna-se o maior empreendimento de iluminação pública do Brasil com predominância da tecnologia. O sistema de iluminação é composto por 258 postes metálicos e luminárias a LED ao longo do ponto turístico.

    Ponte com iluminação rosa no mês de outubro
    Ponte com iluminação rosa no mês de outubro | Foto: Divulgação

    6 – A Ponte Rio Negro é cenário para ensaio fotográfico

    A ponte se tornou cenário de ensaios fotográficos para casamentos, aniversário de 15 anos e até mesmo books de modelos amazonenses como forma de valorizar a região.

    Ensaio fotográfico de casamento no ponto turístico
    Ensaio fotográfico de casamento no ponto turístico | Foto: Os Pezinnis

    Diversos amazonenses também se deslocam até a ponte para contemplar o pôr do sol da região, devido à vista panorâmica. A ponte é considerada pela população como o melhor ponto para apreciar o fenômeno da natureza, como contou a recepcionista Mariana Vasconcelos, que sempre que pode vai até o monumento.

    “Quando estou precisando relaxar sempre busco passear pela ponte no período do pôr do sol, inclusive na quarentena fui até lá para espairecer dentro do carro mesmo, é sempre bom apreciar uma boa vista”, ressaltou.

    O pôr do sol visto da ponte Rio Negro atrai diversos amazonenses todos os dias
    O pôr do sol visto da ponte Rio Negro atrai diversos amazonenses todos os dias | Foto: Tereza Cidade

    7 - Maior ponte do país

    A ponte rio Negro é considerada a maior do Brasil construída sobre ambiente de água doce. O projeto utiliza a tecnologia de Stay, já aplicada em outras pontes no Brasil assim como em outros países. O diferencial do ponto turístico é o marque central e os dois vãos livres ao redor do marque, que tem 172 metros de altura, a partir do nível de água.

    Os vãos livres, possuem 55 metros de altura por 200 de largura. Isso vai dá à ponte um formato em diamante, fazendo com que ela possa ser observada a uma distância de até 30 quilômetros.

    8 - Ponte foi inaugurada com um ano de atraso

    Outra curiosidade sobre a ponte, é que ela deveria ter sido entregue um ano antes de sua inauguração, mas devido ao período intenso de cheias e elevação do nível das águas que aconteceu na época a construção precisou ser adiada.

    Devido às fortes chuvas que colaboraram para as enchentes, o processo de conclusão das partes inferiores da ponte, que hoje estão dentro das águas, precisou ser interrompido O risco de mergulho era alto para os profissionais e por medida de segurança, adiar a inauguração acabou sendo a melhor solução.

    9 - Ponte é cenário de grandes competições 

    A faixa de passeio foi desenvolvida para que pedestres, ciclistas e corredores pudessem se divertir nas vias de lazer do ponto turístico. No ano de sua inauguração, a ponte chegou a ser considerada a nova ponta negra pela população.

    Atividade como corridas, caminhadas e até competições já foram desenvolvidas nas vias do monumento como forma de laser e mais qualidade de vida aos amazonenses.

    10 - Pelo menos 66 mortes

    Durante a construção da Ponte Rio Negro vários acidentes de trabalho resultaram na morte de trabalhadores amazonenses. Em um dos casos, o operário Josias dos Santos Vieira morreu e outros três trabalhadores ficaram feridos após uma das vigas da ponte cair no momento em que era encaixada na estrutura da ponte.

    Durante outro acidente na ponte, 15 trabalhadores foram lançados para a água devido à queda de parte das lacunas que compõem o monumento. O acidente resultou no afogamento de um dos operários. A população acredita que outros mergulhadores também foram vítimas da construção. A equipe de reportagem do EM TEMPO não confirmou tal informação.

    A Ponte também foi cenário de pelo menos 66 ocorrências de suicídio no ano de 2019, o equivalente a um suicídio a cada quatro dias.

     Leia Mais: 

    As silenciosas mortes de trabalhadores em serviço na capital do AM

    Covid: Meia Maratona Sustentável do Amazonas é adiada para 2021

    Fiscalização de transporte intermunicipal é reforçada por taxistas