Fonte: OpenWeather

    Floresta


    Musa lança projeto de adoção de árvores para conservar flora amazônica

    Projeto "Amicus Flora" permite adotar uma árvore para ajudar na conservação da flora amazônica

    As árvores que participam do projeto já estão identificadas e localizadas
    As árvores que participam do projeto já estão identificadas e localizadas | Foto: Divulgação/ Musa

    Manaus – Fechado há quatro meses como medida de isolamento social por conta do coronavírus, o Museu da Amazônia se prepara para abrir os portões. Neste mês de Junho o Musa lança o projeto Amicus Flora, onde você pode adotar uma árvore no Musa Jardim Botânico e contribuir para que suas plantas e sementes continuem brotando felizes. “É alternativa para preservar o quadro de colaboradores e o raro acervo botânico, arqueológico e etnográfico que nos foi confiado.”, ressalta o diretor do Museu da Amazônia Ennio Candotti.

    As árvores que participam do projeto já estão identificadas e localizadas. Fazem parte do projeto árvores como Angelim-rajado, Castanha-de-macaco, Breu-vermelho, Itaúba, Acariquara-roxa, Urucum, Samambaias, Marta-rocha e Castanha-do-brasil. Elas estão distribuídas nas trilhas, canteiro de palmeiras e no lago.

    Para adotar uma árvore no Museu da Amazônia, basta acessar o site do Musa (www.museudaamazonia.org.br), clicar no banner do projeto, escolher uma das plantas da lista e enviar um e-mail para [email protected]  solicitando a adoção e o nome da planta preferida (a lista dos nomes e sua localização se encontra no anexo ao banner do site). Recebendo a confirmação que a árvore ainda não foi reservada, o padrinho - ou a madrinha – é convidado a depositar na conta do Musa R$ 500 por ano de adoção. “Prepararemos como reconhecimento uma nova placa que registrará o nome do Amicus ou da empresa adotante, junto ao nome da planta e sua localização.”, explica Candotti. 

    *Com informações da Assessoria

    Ver mais:

    Após quarentena, Novo Airão retoma atividades do setor de turismo

    Agências de turismo do Amazonas seguem acumulando prejuízos

    Teatro Amazonas: visita guiada pela casa da arte em Manaus