Fonte: OpenWeather

    Sepultamentos em Manaus


    Manaus volta a registrar índice de enterros anterior à pandemia

    O sistema voltou a normalidade em número após colapso durante a pandemia, segundo a Prefeitura de Manaus

     

    De acordo com dados da Prefeitura de Manaus, foram registrados 1.100 sepultamentos e cremações nos cemitérios no mês de junho
    De acordo com dados da Prefeitura de Manaus, foram registrados 1.100 sepultamentos e cremações nos cemitérios no mês de junho | Foto: Márcio James/ Semcom

    Manaus – O índice de sepultamentos no mês de junho deste ano volta a ser semelhante ao registrado antes da pandemia. De acordo com dados da Prefeitura de Manaus, foram registrados 1.100 sepultamentos e cremações nos cemitérios da capital do Amazonas, sendo 912 nos espaços gerenciados pela prefeitura.

    Nos três meses de agravamento da pandemia, os cemitérios públicos e privados de Manaus registraram 6.268 sepultamentos e cremações, sendo 2.809 em abril e 2.359 no mês de maio. O sistema funerário público foi responsável por 5.246 enterros, o equivalente a 83,6% do total.

    Os 912 sepultamentos e cremações registrados no sistema público em junho, pela Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), estão menos de 10% acima do registrado no mesmo período do ano passado, 842. Em abril deste ano foram registrados 2.435 enterros no sistema público, um crescimento de 179,5% em relação ao mesmo período de 2019, quando foram contabilizados 871 enterros. Em maio de 2020, o crescimento foi de 120% em relação ao ano anterior, saltando de 860 para 1.899.

    As médias diárias de sepultamentos registradas no sistema público nos primeiros meses deste ano - 29 em janeiro, 27 em fevereiro e 28 em março – estão praticamente iguais a registrada em junho, 30, e em todo o ano de 2019 (29). A maior média este ano foi registrada em abril, com 81 sepultamentos diários, no mês seguinte a média diária caiu para 61.

    O sistema público de sepultamentos também registrou, em junho, queda no total de sepultamentos e cremações de óbitos registrados como Covid-19. Enquanto em abril e maio foram 190 e 348 registros, respectivamente, em junho foram 121.

    Para o secretário da Semulsp, Paulo Farias, mesmo com a redução de sepultamentos, a população deve continuar em alerta e prevenindo-se do novo coronavírus. 

    “A Semulsp vem registrando uma redução lenta, mas constante, na taxa de sepultamentos em Manaus, o que é uma notícia boa para todos. Entretanto, sempre temos casos de Covid-19, o que deixa claro a necessidade de distanciamento social, de cuidados e de atenção fundamentais para que esses resultados sejam duradouros e não tenhamos uma recaída”, alertou o secretário.

    Centenas de famílias visitaram os cemitérios para enterrar entes queridos
    Centenas de famílias visitaram os cemitérios para enterrar entes queridos | Foto: Márcio James/ Semcom

    Covas individuais e cremação

    Com a redução do número de sepultamentos em junho, a Prefeitura de Manaus retornou, no dia 17 de junho, o sepultamento em covas individuais no Cemitério Nossa Senhora Aparecida encerrando o sistema de trincheiras utilizado durante o período de maior atendimento durante a pandemia de Covid-19, quando o aumento da demanda saiu de uma média de 30 enterros diários, chegando a mais de 100 por dia.

    Além da modalidade de sepultamentos em trincheira no cemitério Nossa Senhora Aparecida, único com espaço público para novas covas na capital, a prefeitura disponibilizou a opção de cremação, em parceria com uma empresa privada. Desde o seu lançamento, no final de abril, de 77 famílias em vulnerabilidade social, sendo 16 em junho, utilizaram o sistema de cremação.

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    Cai para menos de 50 o número de enterros em Manaus no mês de junho

    Após colapso no sistema, sepultamentos em Manaus cai 51% em um mês

    Assista ao Web TV News na Web TV Em Tempo:

    Confira dicas de prevenção ao coronavírus:

    Coronavirus

    >