Fonte: OpenWeather

    Iranduba


    Iranduba recusa ajuda do Governo para assistência social à população

    A assessoria da assistência social do município informou que a ajuda do Governo não era necessária, pois a prefeitura já estaria prestando assistência às famílias

    61 municípios aderiram ao pedido, menos Iranduba
    61 municípios aderiram ao pedido, menos Iranduba | Foto: Divulgação

    Iranduba – O município de Iranduba, distante a 27 quilômetros de Manaus, foi a única cidade do Amazonas que não aderiu ao programa de cofinanciamento estadual de assistência social. O objetivo da verba é para que as prefeituras possam investir na concessão de benefícios eventuais e na proteção especial de média e alta complexidade.

    O município conta com 1.260 casos confirmados e 43 mortes, conforme boletim emitido pela Fundação de Vigilância e Saúde do Amazonas (FVS-AM). Em maio, o Ministério Público do Amazonas (MPAM) ajuizou uma ação pedindo que a cidade aderisse ao Lockdown, que tratava-se do fechamento dos serviços não essenciais e do controle da movimentação de pessoas nas ruas. 

    No mês de junho, o governador Wilson Lima já tinha anunciado a liberação da primeira etapa do cofinanciamento deste ano, no valor de R$ 2,7 milhões, para 36 municípios. A segunda etapa contemplaria 26 municípios, mas Iranduba não aderiu ao programa, sendo o único a ficar de fora.

    O Governo do Amazonas repassa os valores para a assistência social de cada município
    O Governo do Amazonas repassa os valores para a assistência social de cada município | Foto: Miguel Almeida/Seas

    Segundo informou a assessoria da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas), para receber esta ajuda, o município precisa aderir ao cofinanciamento a partir da entrega de uma série de documentações. Havia um prazo, que se não fosse seguido, a cidade poderia perder a ajuda. 

    A Seas envia os instrumentos para adesão ao município, que são: oficios, resoluções da CIB, planilha de repasse, termo de adesão e modelo de plano de ação. 

    O Portal EM TEMPO entrou em contato com a assessoria da assessoria da Prefeitura de Iranduba, para saber o motivo do município ter ficado de fora do repasse.

    Em resposta, a assessora técnica da Secretaria de Assistência Social de Iranduba, Ana Paula Tanaka, informou que a prefeitura estaria prestando assistência às famílias por meio de entrega de cestas básicas e que a proposta do Governo era menor que o esperado pela cidade. 

    “O cofinanciamento estadual não foi aderido porque desde o Decreto estadual e municipal da pandemia, a prefeitura já entrou com as medidas protetivas. A prefeitura arcou com recursos próprios de toda a proposta feita. Já entramos com a ação de R$ 88 mil em cestas básicas para o enfrentamento ao Covid-19, além do auxílio funeral. Inclusive, a prefeitura entrou com mil cestas básicas e kits higiene. Por que nós iríamos fazer um cofinanciamento estadual se a proposta deles é menor do que o município que dá cobertura?", disse.

    "Vamos prestar conta ao Tribunal de Contas sobre a mesma situação como se fosse duplicidade. Se o Estado viesse com uma proposta com cestas básicas ao invés de dinheiro, aí sim, seria um acréscimo, dá para justificar no tribunal. Ao total, são 1.500 cestas para as famílias”, acrescentou a assessoria.

    As entregas de cestas básicas eram feitas pela prefeitura de Iranduba
    As entregas de cestas básicas eram feitas pela prefeitura de Iranduba | Foto: Divulgação

    Leia mais:

    Idosos de Manaus são contemplados com kit higiene da Seas

    Mais de 100 mil refeições a pessoas moradoras de rua 

    'Fake News' levam multidões à Seas atrás de cartão do "Apoio Cidadão"

    Assista ao Web TV News na Web TV Em Tempo:

    Confira dicas de prevenção ao coronavírus:

    Coronavirus

    >