Fonte: OpenWeather

    Mudanças


    Vai viajar de barco? Veja o que muda com a retomada das viagens no AM

    Retomada das viagens de barco no Amazonas inicia nesta quinta-feira (16), mas com mudanças

    Fiscais da Arsepam repassaram orientações aos operadores e proprietários de embarcações
    Fiscais da Arsepam repassaram orientações aos operadores e proprietários de embarcações | Foto: Divulgação/Secom

    Amazonas - A partir desta quinta-feira (16), as viagens de barco entre municípios voltam a ser permitidas no Amazonas, exceto nas localidades que ainda mantêm a suspensão por meio de decreto. Apesar da liberação, passageiros, proprietários de embarcações e demais operadores precisam ficar atentos quanto às mudanças causada pela pandemia do novo coronavírus. 

    Lanchas rápidas poderão operar com até 60% da capacidade de passageiros, enquanto balsas e navios motor terão capacidade reduzida para 40%. Além da limitação de passageiros, as embarcações precisam cumprir normas de higiene e distanciamento social, com demarcação de assentos e distância entre redes, que serão fiscalizados pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados e Contratados do Amazonas (Arsepam). 

    Sérgio Pimenta, chefe de fiscalização da Agência, afirma que até mesmo as redes - comumente usadas em viagens fluviais - precisam ser amarradas considerando uma distância mínima. 

    "Com relação aos navios, a distância entre uma rede e outra é de 2 metros para manter esse distanciamento social (...) Eles [operadores] precisam higienizar a embarcação a cada viagem e manter essa higienização, intensificar nas partes mais tocadas pelos passageiros e tripulantes, como maçanetas e corrimãos", explicou Pimenta, por meio de assessoria. 

    Embarcações serão fiscalizadas por agentes da Arsepam
    Embarcações serão fiscalizadas por agentes da Arsepam | Foto: Divulgação/Secom

    Municípios com restrição

    Mesmo com a liberação do transporte fluvial no estado, alguns municípios mantêm a suspensão do serviço por meio de decretos. Segundo a Arsepam, estas localidades precisam enviar lista de passageiros previamente autorizados para que possam embarcar. 

    A prioridade será dada àqueles que exerçam funções essenciais, como profissionais da saúde e segurança pública em exercício da função, entre outros, com documento que justifique a necessidade de deslocamento. Os passageiros, ou tripulantes, que apresentem sintomas de Covid-19 durante a viagem, deverão desembarcar no porto municipal mais próximo para atendimento médico.

    Fiscalização

    As embarcações são fiscalizadas por um grupo de 12 agentes da Arsepam. Em caso de descumprimento das normas e procedimentos de segurança, a embarcação sofrerá multa disciplinar de até R$ 10 mil e retorno imediato.

    Para mais informações, basta entrar em contato com o canal de atendimento 24h pelo telefone (92) 98408-4799.

    *Com informações da assessoria

    Leia Mais

    AM está entre os Estados que registram queda de óbitos por Covid-19

    Estudo da Ufam cataloga medicamentos livres de patente contra Covid-19

    Brasil chega a quase 1,9 milhão de casos confirmados de Covid-19