Fonte: OpenWeather

    Hospitais de campanha


    Equipamentos de hospitais de campanha vão ser realocados no AM

    Tanto na rede municipal, quanto na estadual, os equipamentos utilizados durante a pandemia ficarão no Estado para atender pacientes com outras doenças nas unidades de saúde

    Os equipamentos usados serão redistribuídos e pretendem acabar com a espera em filas e corredores de hospitais
    Os equipamentos usados serão redistribuídos e pretendem acabar com a espera em filas e corredores de hospitais | Foto: Marcio James / Semcom

    Manaus – Leitos, equipamentos e remédios oriundos de outros Estados do Brasil e países, utilizados durante a pandemia no Amazonas, ganharão destinos diferentes após a pandemia da Covid-19 no Amazonas. 

    Os equipamentos utilizados nos hospitais de campanha administrados pela Prefeitura de Manaus e pelo Governo do Estado do Amazonas foram essenciais durante o pico da pandemia e pretendem suprir as demandas de outras doenças após o pico da Covid-19. O Estado contabiliza, segundo o boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância e Saúde (FVS) da última terça-feira (14), 70.720 pessoas contaminadas e 3.048 vítimas fatais do coronavírus. 

    Na capital

    O hospital de campanha municipal encerrou as atividades e voltou a ser um complexo municipal
    O hospital de campanha municipal encerrou as atividades e voltou a ser um complexo municipal | Foto: Márcio James / Semcom

    O hospital de campanha municipal, Gilberto Novaes, encerrou as atividades no último dia 23 de junho. A estrutura havia sido implantada nas dependências do Centro Integrado Municipal de Educação (Cime), localizado no bairro Lago Azul (Zona Norte). 

    Os equipamentos adquiridos pela prefeitura, conforme a Lei Federal 13.979, que trata sobre a Covid-19, devem constar no Portal da Transparência e passar por inventário patrimonial. 

    Todos os equipamentos que foram cedidos pela iniciativa privada já foram devolvidos. Demais insumos e profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), serão redistribuídos nas unidades de saúde do município, conforme a demanda de cada local. 

    A Semsa distribuirá os equipamentos para as demais unidade de saúde
    A Semsa distribuirá os equipamentos para as demais unidade de saúde | Foto: Reprodução

    Equipamentos  e insumos

    No Portal da Transparência, consta a compra de 462 termômetros digitais, 148 oxímetros de pulso, 600 protetores faciais, 600 calçados de segurança, 100 capacetes motociclistas, 700 respiradores semifacial, 1200 óculos de proteção, 100 joelheiras e luvas de proteção, 5 mil filtros, 100 cotoveleiras, 10 mil macacões de proteção e outros equipamentos. 

    Além dos pacientes da capital, o hospital atendeu moradores do interior do Amazonas, entre os municípios estavam Itacoatiara, Manacapuru, Parintins, Nova Olinda do Norte e Iranduba. O espaço também contava com o atendimento à população indígena. Ao todo, 29 etnias receberam tratamento em ala exclusiva. 

    A prefeitura informou que a decisão de encerrar as atividades do hospital de campanha levou em consideração a disponibilidade de leitos nos hospitais estaduais. A unidade esteve em funcionamento durante 71 dias, com o balanço de 611 pacientes que tiveram alta. Cerca de 81% de êxito no tratamento no espaço.

    No Amazonas  

    Leitos foram ampliados afim de atender às demandas na pandemia
    Leitos foram ampliados afim de atender às demandas na pandemia | Foto: Reprodução

    A Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam) informou que os equipamentos utilizados no Hospital de Combate ao Covid-19, na Universidade Nilton Lins, serão redistribuídos nas unidades da rede estadual. Já os equipamentos enviados aos municípios no interior permanecerão nos locais para atender a população em outras enfermidades.

    O hospital de campanha iniciou os atendimentos no dia 18 de abril. A unidade começou a operar, inicialmente, com 66 leitos, sendo 16 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Hoje atende com 62 leitos clínicos, 14 de UTIs e dois de sala vermelha.

    O Amazonas recebeu diversos equipamentos para a saúde do Estado
    O Amazonas recebeu diversos equipamentos para a saúde do Estado | Foto: Divulgação

    O Estado articula, junto ao Ministério da Saúde, a ampliação de leitos na unidade, que tem capacidade para 400, cuja ativação depende de equipamentos e recursos humanos. O local segue em atendimento aos pacientes com Covid-19. 

    'O AM esperava na UTI'

    A aquisição desses equipamentos pretende solucionar um problema já existente na saúde do Amazonas. Após pandemia, o material será utilizado para suprir a demanda que já aparentava carência. Denúncias de pacientes alocados em corredores de unidades darão lugar ao tratamento em salas especializadas e equipadas. 

    Com a inclusão dos equipamentos e insumos, a grande movimentação de pacientes entre hospitais sem leitos terão novas histórias, após a ampliação de leitos. A falta de equipamentos para exames será suprida por investimento milionários em aquisições por conta da pandemia.

    Leia mais:

    Hospital Nilton Lins recebe respiradores do Ministério da Saúde

    Conselho de medicina diz que hospital em Manaus não deveria estar aberto

    Hospital Nilton Lins começa a receber pacientes com Covid-19 em Manaus 

    Veja também