Fonte: OpenWeather

    Tráfico nos rios


    Força Nacional de Segurança Pública irá atuar durante 30 dias no AM

    Ações da Força Nacional serão voltadas ao combate do crime organizado nos rios do Amazonas

    Tropas da Força Nacional devem iniciar atuação no dia 3 de agosto
    Tropas da Força Nacional devem iniciar atuação no dia 3 de agosto | Foto: Divulgação

    Manaus - O Governo Federal autorizou nesta quinta-feira (23) o emprego da Força Nacional de Segurança Pública em apoio à operação "Arpão I", que irá colocar em prática ações de combate ao crime organizado, ao narcotráfico e aos crimes ambientais na calha dos rios Negro e Solimões, no Amazonas. Os membros da Força irão atuar no estado por 30 dias, a contar do dia 3 de agosto. 

    A portaria foi publicada no Diário Oficial da União, com aval do ministro de Estado da Justiça e Segurança Pública - André Luiz Mendonça. O emprego da Força Nacional poderá ser prorrogado, caso seja necessário.

    A portaria prevê ‘’atividades e serviços imprescindíveis à preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, em caráter episódico e planejado’’. 

    Operação Arpão I

    Ações de combate ao crime organizado nos rios ganhou apoio de lanchas blindadas
    Ações de combate ao crime organizado nos rios ganhou apoio de lanchas blindadas | Foto: Divulgação

    As ações de combate contra o crime organizado nos rios do Amazonas receberam reforço, anteriormente, de equipamentos no valor de R$ 3,5 milhões em lanchas blindadas, micro-ônibus e carros. A operação "Arpão I" irá empregar os materiais em operações estratégicas na Base Fluvial Arpão, que o Governo do Amazonas vai instalar na região do rio Solimões, entre Coari e Tefé.

    ‘’No rio Solimões, que é uma rota utilizada por esses traficantes, estamos montando a Base Arpão nos próximos dias. Já conversamos com o ministro da Justiça e também com o superintendente da Polícia Federal, que já assumiu o compromisso de reativar a Base Anzol, que fica mais lá em cima. Estamos estudando também a possibilidade de colocar uma base lá no rio Negro, para que a gente possa, efetivamente, fechar essas entradas e saídas aqui do estado do Amazonas para o tráfico de drogas”, frisou o governador Wilson Lima (PSC) em fevereiro, ao receber a verba para a operação.

    De acordo com o governador, a "Base Arpão" será montada com recursos do Estado, mas também tem parceria do Governo Federal, fazendo interligação com o sistema de inteligência.

    Chamados de ''piratas dos rios'', traficantes utilizam rotas aquáticas para o crime organizado
    Chamados de ''piratas dos rios'', traficantes utilizam rotas aquáticas para o crime organizado | Foto: Divulgação

    “Vão fornecer subsídios para as agências tanto de inteligência quanto as Delegacias Especializadas para direcionar mais as investigações e tornar mais eficazes nossas atuações no que se referem a grandes apreensões que causam prejuízos ao crime organizado”, destacou o delegado Juan Valério, coordenador do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), durante uma reunião no dia 9 de julho.

    Força Nacional de Segurança Pública

    O uso da Força Nacional de Segurança Pública foi solicitado durante reunião sobre o funcionamento da base Arpão, pelo secretário de segurança pública do Amazonas, coronel Louismar Bonates.

    “Eu tive uma conversa com o coronel Paim, que é o novo secretário nacional de Segurança Pública, para que ele mande a tropa para cá, para colocarmos no início de agosto a base em operação”, ressaltou o secretário de segurança.

    Destacando que mais de 80% dos assassinatos no Amazonas tem relação com o tráfico de drogas, o governador Wilson Lima reforçou a importância do trabalho integrado entre as forças de segurança e Governo Federal. “A questão da proteção das fronteiras tem que ser um trabalho em conjunto, não tem como só Polícia Militar ou Polícia Civil fazerem isso. Por isso estamos montando essas bases", disse Lima.

    Leia Mais

    Piratas: perigo constante entre os rios da Amazônia

    Forças de segurança do AM recebem mais de R$ 3,5 milhões

    Secretário de segurança promove reunião contra tráfico nos rios