Fonte: OpenWeather

    Vistoria


    Agência bancária e postos de combustível são autuados em fiscalização

    A agência do banco foi autuada por descumprir a Lei das Filas

    Os bancos não estão cumprindo a "Lei das filhas"
    Os bancos não estão cumprindo a "Lei das filhas" | Foto: Divulgação


    Manaus - Em fiscalização nesta terça-feira (28), uma agência bancária e dois postos de combustível, localizados no município de Codajás (a 239 km de Manaus), foram autuados pelas equipes da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (CDC/Aleam) e do Procon-AM. Durante a ação, os fiscais constataram o não cumprimento da Lei das Filas e irregularidades na fiscalização volumétrica. Os estabelecimentos têm, agora, 15 dias para apresentar defesa. 

    Segundo informações das equipes de fiscalização, a agência do banco foi autuada por descumprir a Lei das Filas, a qual obriga que a instituição disponibilize senha com identificação de horário ao consumidor. 

    Ainda conforme os fiscais, apesar de o atendimento do caixa estar ocorrendo de forma correta, a agência não estava disponibilizando senhas com identificação para os demais serviços. E sem uma senha com a descrição do horário, o consumidor não tem como comprovar o tempo de espera na fila. 

    Postos

    Nos postos de combustível, as equipes realizaram um levantamento para verificar se o preço praticado era abusivo e também uma fiscalização volumétrica.

    Os postos da cidade foram vistoriados
    Os postos da cidade foram vistoriados | Foto: Divulgação

    “Não constatamos alinhamento de preço. No entanto, na fiscalização volumétrica, foi verificada uma desregulação do bico. Neste caso, não temos como afirmar se foi proposital ou se foi por conta do tempo de uso”, comentou o chefe de fiscalização do Procon-AM, Pedro Malta, ao afirmar que o estabelecimento foi autuado e terá de regularizar a situação o quanto antes. 

    “Esse problema terá de ser solucionado o mais breve possível. Essa desregulação gera prejuízos ao consumidor. Isso porque, a cada 20 litros de gasolina, 140 ml são furtados do consumidor. Logo, paga por algo que não está sendo consumido”, explicou. 

    Malta informou que, nas duas situações, tanto a agência bancária quanto o posto de combustível terão um prazo de 15 dias para sanar as irregularidades e para apresentar defesa junto ao órgão de fiscalização. 

    Denúncia

    A CDC/Aleam  segue com os atendimentos on-line, por meio das redes sociais e telefones. Denúncias e reclamações podem ser feitas por meio do e-mail [email protected], telefone 3183-4451, WhatsApp (92) 99440-2019.

    *Com informações da assessoria