Fonte: OpenWeather

    Criação da ATAM


    Associação de Tecnólogos do Amazonas começa ações em Manaus

    A criação da Associação de Tecnólogos do Amazonas (ATAM) visa representar a categoria no estado, e abrange tecnólogos de engenharia

    Raimundo Neidelande de Araújo, vice-presidente da ATAM e Alex Monteiro, presidente da ATAM
    Raimundo Neidelande de Araújo, vice-presidente da ATAM e Alex Monteiro, presidente da ATAM | Foto: Ana Gadelha

    Manaus – A Associação de Tecnólogos do Amazonas (ATAM) inicializou ações de mapeamento da categoria no estado, com apoio do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (CREA-AM), para definir principais demandas e déficits dos profissionais em Manaus e em municípios do interior, sem fins lucrativos.

    Criada dia 14 de julho de 2020, a entidade de classe planeja representar os interesses dos profissionais tecnólogos das áreas de abrangência do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) no Amazonas. Atualmente, a associação possui representantes em Manaus, Tefé, Itacoatiara, Novo Airão e Parintins.

    "Nos próximos meses, planejamos ter o número atualizado de tecnólogos formados e em formação no Amazonas, além de levantar quais as principais reivindicações na área’’, afirmou Alex Monteiro, presidente da ATAM e tecnólogo naval.

    CREA-AM fornece apoio para ATAM
    CREA-AM fornece apoio para ATAM | Foto: Divulgação

    Inicialmente, a associação está em um momento de expansão e aproximação dos profissionais tecnólogos do estado, atendendo demandas individuais e de interesse comum da comunidade.

    "Com a questão do desemprego e da pandemia, a necessidade de atuação da ATAM foi potencializada. As ações que realizamos visam essas questões dos profissionais que foram afetados nesse momento’’, ressaltou Raimundo Neidelande de Araújo, vice-presidente da ATAM e tecnólogo em gestão ambiental.

    Municípios

    Em atenção especial além da capital amazonense, a Associação de Tecnólogos do Amazonas possui representantes em quatro municípios, com planejamento para abranger outras localidades.

    A atuação de tecnólogos de engenharia é forte em diversas áreas do Amazonas, conforme o presidente da ATAM, e é essencial representar e coletar informações desses espaços.

    Novo Airão é exemplo de importância da atuação da ATAM
    Novo Airão é exemplo de importância da atuação da ATAM | Foto: Divulgação

    "No curso de tecnologia em construção naval da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), em Novo Airão, apenas 30% dos alunos formados trabalham na área. E todos que estão trabalhando tiveram que sair do município para encontrar oportunidades’’, revelou Alex Monteiro.

    De acordo com o presidente, esses profissionais não saíram do município por falta de oportunidades, mas sim por falta de conhecimento das oportunidades existentes.

    "Antes de iniciar um curso em algum município são realizados estudos no local para verificar o que a região está precisando em termos profissionais. Seguindo esse raciocínio não haveriam essas turmas se não fossem necessários os tecnólogos’’, compartilhou Alex Monteiro.

    "O que falta é um profissional habilitado, capacitado e regulamentado para atuar na prefeitura daquele município e desenvolver essa área que o município tem’’, explicou.

    Um dos objetivos da Associação surge exatamente dessa situação. Através de encontros com prefeitos e personalidades políticas, a ATAM deverá incentivar e demonstrar as ferramentas existentes em cada município que podem ser utilizadas para desenvolver a área tecnóloga.

    Regulamentação

    Em audiência, CREA reforça apoio à regulamentação da profissão de tecnólogo
    Em audiência, CREA reforça apoio à regulamentação da profissão de tecnólogo | Foto: Divulgação

    Os tecnólogos são profissionais com formação de nível superior, em cursos de curta duração com foco nas necessidades do mercado. Tais cursos têm sido criados para responder à demanda por preparação, formação e aprimoramento educacional e profissional.

    Os cursos superiores de tecnologia podem ser feitos por estudantes, que tenham concluído o ensino médio ou que já tenham diploma de nível superior e queiram se especializar, mesmo assim, não é uma profissão regulamentada.

    Em conjunto com a Associação Nacional dos Tecnólogos (ANT), a ATAM discute essa questão da profissão no Brasil.

    "

    Nós, da Associação de Tecnólogos do Amazonas, buscamos trabalhar com a questão cultural e educacional acerca de profissão em favor do reconhecimento pela formação "

    Alex Monteiro, presidente da ATAM

    O Projeto de Lei (PL) 2245/2007, que regulamenta a atuação do tecnólogo, aguarda há 7 anos a Deliberação do Recurso na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados (MESA), após ser aprovado na Comissão de Educação (CEC) com unanimidade e na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC).

    "Mesmo aprovado com unanimidade, aguardamos essa deliberação da PL para a regulamentação. Este é outro ponto que planejamos debater e impulsionar’’, informou Alex Monteiro.

    Profissionais tecnólogos

    Segundo a diretora de Regulação e Supervisão da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Andréa Andrade, os primeiros cursos superiores de tecnologia surgiram em 1969 e, nos últimos anos, a curva de expansão desse tipo de graduação tem sido exponencial.

    "Entre 2006 e 2007 teve um aumento de 6% dos cursos superiores de licenciatura e bacharelado. Se levarmos em conta apenas os cursos superiores de tecnologia, o crescimento foi bem maior: 21%”, afirmou Andréa. “Isso é reflexo da demanda de mercado”, acrescentou.

    Para organizar e orientar a oferta de cursos superiores de tecnologia, o Ministério da Educação (MEC) criou o Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia.

    Lançado em 2006, trata-se de um guia de informações sobre o perfil de competência do tecnólogo. Ele apresenta a carga horária mínima e a infraestrutura recomendada para o curso. O material fica disponível na internet, no site do MEC, pelo endereço http://catalogo.mec.gov.br.

    Desde 2004, a Associação Nacional dos Tecnólogos (ANT) atua como uma entidade representativa dos interesses da classe em diversas regiões brasileiras, mas somente em 2020, com a criação da Associação de Tecnólogos do Amazonas (ATAM), que a associação tem influência direta no estado.

    Antes da idealização da ATAM, a primeira associação da categoria no estado, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (CREA-AM), lidava com demandas relacionadas aos profissionais tecnólogos da engenharia, mas sem os mesmos profissionais representantes diretos da categoria.

    "Não existe um tecnólogo no CREA-AM que defenda os interesses da classe. Existe a associação nacional, mas a representação não atinge o estado. Foi nesse cenário que surgiu o ATAM’’, declarou o presidente da associação.

    Como se associar

    Logo da ATAM
    Logo da ATAM | Foto: Divulgação

    Além de profissionais tecnólogos formados, estudantes atuantes na área também podem se filiar à Associação de Tecnólogos do Amazonas.

    Os associados possuem benefícios como convênio com o Instituto Naval da Amazônia para treinamentos e cursos no setor naval e de segurança através da carteirinha da ATAM.

    Além disso, a associação irá promover ações para qualificação e networking. "Este ano estamos prevendo um seminário on-line ou presencial. Estamos convidando palestrantes do estado e do Brasil para dois eventos ainda em 2020. O formato será definido dependendo da situação de covid-19 no estado’’, informou o presidente da ATAM.

    A Associação de Tecnólogos do Amazonas está disponível através do Instagram e Facebook para mais informações e para realizar a filiação.

    Leia mais:

    Mourão diz que quer mais agentes para fiscalizar o meio ambiente

    Professora de escola de Manaus é vencedora em premiação nacional

    Inscrições para concurso do Exército encerram nesta semana