Fonte: OpenWeather

    Dados


    Manaus tem mais de 66% de área construída, aponta mapeamento do IBGE

    Manaus encabeça a lista dos municípios mais povoados do Amazonas

    O estudo considerou condomínios, vilas e áreas de invasões | Foto: Márcio Melo/Arquivo Em Tempo

    Manaus - Mesmo localizada no coração da floresta amazônica, Manaus tem 66,70% das terras consideradas como área urbana com alta densidade de edificações. Foi o que revelou um estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

    O índice é considerado alto tendo em vista a localização da cidade. Manaus encabeça a lista dos municípios mais povoados do Amazonas. Em seguida, a cidade Parintins figura na segura colocação com 144 setores (3,13%), seguida de Itacoatiara com 112 setores (2,43%), Tefé com 78 setores (1,70%) e Autazes com 179 setores censitários (3,86%).

     O estudo foi feito em 2019 a partir de um levantamento por imagens de satélite, considerando toda cobertura vegetal e urbana do país. 

    Capital

    Em Manaus, foram mapeados 3174 setores censitários. Desses, 95,15% (3020 setores) foram classificados área urbana de alta densidade de edificações e 74 setores foram classificados como área urbana de baixa densidade de edificações, identificadas como vilas ou zonas urbanas que apresentam baixa concentração de estruturas, domicílios e equipamentos (com abastecimento de água ou energia oficiais). A capital amazonense possui ainda 55 áreas rurais, 20 povoados e cinco lugarejos.

    Estado

    Já em todo o Amazonas, segundo o estudo, 44,7%  foram classificados como área rural: totalizando  4.636 setores censitários. São áreas constituídas de espaços rurais de baixa densidade de edificações com ocupação domiciliar. Os municípios que apresentaram maior quantidade de setores censitários de área rural foram: São Gabriel de Cachoeira com 451 setores censitários (9,72%), Barreirinha com 268 setores (5,78%), Lábrea com 201 setores (4,33%), Barcelos com 182 setores (3,92%) e Autazes com 179 setores censitários (3,86%).

    "Para realizar as suas pesquisas demográficas e sociais, o IBGE subdivide os territórios dos municípios em pequenas partes, denominadas como setores censitários - que podem estar localizados tanto na zona urbana, quanto na zona rural. Os setores censitários levam em consideração várias características que ajudam na apuração de uma pesquisa, podendo ser uma aldeia indígena, uma favela, um condomínio, vila, povoado ou até mesmo uma área de preservação ambiental. Assim, a divisão oficial do IBGE torna-se um diferencial para qualquer estudo detalhado sobre os municípios. Ela é dinâmica porque a cada dia o território sofre alterações, tais como a criação de bairros, povoados, loteamentos e até mesmo invasões", disse Adjalma Nogueira, supervisor de disseminação do IBGE. 

    Estudo

    A Malha Setorial Intermediária divulgada na sexta-feira (31) traz dados baseados na pesquisa feita em 2019. Esse estudo traz a classificação de setores censitários em urbano ou rural com informações geoespacializadas, que podem ajudar as autoridades no Planejamento Territorial.

    Pela primeira vez, a Malha Setorial é disponibilizada independente do Censo Demográfico ou do Agropecuário, por isso é considerada intermediária e não apresenta dados estatísticos de população e domicílios.