Fonte: OpenWeather

    Pesquisa


    Seduc diz que 97,14% dos professores de Manaus aprovam volta às aulas

    Pesquisa ouviu 82,5 mil pessoas de todo o estado

    Pesquisa foi realizada com mais de 82 mil pessoas
    Pesquisa foi realizada com mais de 82 mil pessoas | Foto: Divulgação/Seduc

    Manaus - Uma pesquisa realizada pela Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc) mostrou que 97,14% dos professores da rede pública estadual de ensino, que lecionam em Manaus, aprovam a volta às aulas no regime híbrido, que inclui aulas presenciais e remotas. A pesquisa ouviu 82,5 mil pessoas de todo o estado, entre professores, pedagogos, gestores, administrativos, pais e responsáveis, que responderam questionários on-line. 

    Entre os professores que responderam a pesquisa, também prevaleceu a divisão dos alunos em dois grupos, com 55,14% como a opção mais selecionada para a volta às aulas na capital. O retorno de forma híbrida também foi validado por 97,69% dos gestores de escolas, 97% dos pedagogos e 82% dos pais e responsáveis.

    O estudo tem índice de confiança de 95%, de acordo com o Departamento de Estatística secretaria de Educação.

     A Secretaria de Educação buscou entender os anseios da comunidade escolar para que o Plano de Retorno às Atividades Presenciais fosse conduzido. O Plano de Retorno, que inclui todos os resultados da pesquisa realizada junto à comunidade escolar, está disponível para consulta no site da Secretaria.  

    A volta às salas de aula será de maneira gradativa e escalonada em 123 escolas da capital, totalizando cerca de 110 mil alunos. Os primeiros a retornarem, no dia 10 de agosto, são os estudantes do Ensino Médio regular e da modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA).

    No dia 24 de agosto, retornam os alunos do Ensino Fundamental (anos iniciais e finais). Ainda não há previsão para retorno das aulas no interior do estado.

    Medidas de prevenção

    O retorno das aulas presenciais da rede pública estadual obedece medidas de segurança em saúde determinadas e tem o aval da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), que acompanha os dados da Covid-19 no estado. 

    Entre as medidas de saúde estão a distribuição e uso obrigatório de máscaras entre todos os profissionais e estudantes; reforço nas práticas de higiene pessoal, como lavagem correta das mãos nas pias instaladas nos ambientes comuns; distanciamento de pelo menos 1,5 metro entre as pessoas, tanto na sala de aula como nos corredores e refeitórios; e limpeza constante das superfícies para evitar a proliferação do vírus.

    O secretário de Educação, Luis Fabian Barbosa, afirma que foram investidos R$ 10 milhões para o retorno das aulas presenciais.

    "Dentre os EPIs adquiridos, nós temos um milhão de máscaras. Cada aluno receberá duas. Os alunos de escolas integrais receberão quatro máscaras. Na hora da merenda, da refeição, tira. Além disso, haverá dispenser de álcool em gel em todas as salas. Fizemos revisão em todas as escolas para garantir que as pias estejam funcionando. Tivemos aquisição de sabonetes líquidos, papel, aventais e luvas para todos na cozinha. Todos os EPIs recomendados foram adquiridos por meio de licitação pública nacional”, disse. 

    Sem ocorrências

    No próximo dia 6 de agosto, o Amazonas completa um mês do retorno - de forma gradual - das aulas presenciais na rede particular de ensino, que não teve ocorrências de Covid-19. As medidas de distanciamento e higiene, preconizadas pelas autoridades de saúde, vêm sendo cumpridas nas unidades de ensino da rede privada.

    A intensificação das medidas de segurança será realizada nas faculdades particulares da capital, que retornam com as atividades presenciais no mês de agosto, e na rede pública estadual de ensino, que retoma as aulas a partir do dia 10 de agosto. 

    *Com informações da assessoria

    Leia Mais

    UEA retoma atividades acadêmicas nesta segunda-feira (3)

    Menos de 1% dos professores aprovaram indicativo de greve, diz Seduc