Caso Jhonatan


Familiares do soldado Jhonatan cobram justiça em manifestação

Na manhã deste sábado (8) familiares e amigos se manifestaram em frente ao 7º Batalhão de Polícia do Exército

O soldado de 18 anos foi morto no último domingo (2) com um tiro de fuzil | Foto: Naylene Freire

Manaus - “Nada que façam vai trazer meu filho de volta, mas eu vou lutar até o fim por justiça. Ele não se matou como estão querendo dizer. Temos certeza disso”, defendeu Kelianne Pantoja, mãe do soldado Jhonatan Corrêa Pantoja, 18 anos, que morreu com um tiro de fuzil, na madrugada do último domingo (2). As declarações foram feitas neste sábado (8), durante manifestação de familiares e amigos, em frente 7º Batalhão de Polícia do Exército, na avenida São Jorge, bairro São Jorge, Zona Oeste.

Sem explicações sobre o caso, familiares e amigos pediram justiça e esclarecimentos sobre o caso. No local da manifestação muita comoção e tristeza de todos. Com cartazes, faixas e carro de som os presentes pediam verdade e justiça. Em uma das faixas a mensagem era afirmava: Não foi suicídio foi homicídio! Queremos justiça.

Família defende a tese que não foi suicídio, mas sim homicídio
Família defende a tese que não foi suicídio, mas sim homicídio | Foto: Naylene Freire

Quase sem voz, Keilianne conversou com o EM TEMPO. Mãe de dois filhos, ela contou um pouco da história do filho e explicou porque ela descarta a hipótese de um incidente. Jhonatan que nasceu no dia 17 de novembro de 2001, era o filho mais velho da família e tinha o sonho de seguir carreira no Exército Brasileiro.

“Meu filho amava viver. Era um jovem feliz, sempre alegre, bom e obediente. Ele adora servir, e sempre contava das instruções que recebia no quartel. Ele era muito atento, por isso que eu sei que ele não sofreu um incidente. Alguma coisa aconteceu no batalhão que não querem contar. Demoraram muito para avisar a família e quando chegamos no Hospital 28 de Agosto nos contaram que ele tinha ido para a unidade às 15h e nós só fomos avisados a noite”, contou a mãe.

Mãe do soldado Jhonatan afirma que ele não tinha motivo para tirar a própria vida
Mãe do soldado Jhonatan afirma que ele não tinha motivo para tirar a própria vida | Foto: Naylene Freire

Depoimento de pais

Rosângela Neri foi para a rua esta manhã, em apoio a família Pantoja, disse que não tem grau de parentesco com Jhonatan, mas foi à manifestação com o intuito de apoiar essa mãe e tantas outras que perderam o filho em situações similares a esta que aconteceu no 7º Batalhão.

“Clamamos pela verdade. O que fizeram com essa família foi uma injustiça. Um jovem com todo um futuro pela frente. Eu sou mãe, não consigo imaginar a dor de Keilianne. Ninguém imagina que dentro do quartel nossos filhos vão estar desprevenidos. O exército deveria proteger e garantir a segurança de todos os jovens que estão servindo. Os envolvidos precisam ser punidos logo. A verdade precisa vir à tona. A sociedade amazonense precisa disso. Cadê a Justiça?”, questionou a manifestante.

Desfecho

De acordo com a família, o Laudo médico sobre a causa da morte de Jhonatan será emitido em 30 dias. A família Pantoja aguarda ansiosa os resultados a fim de descobrirem o que de fato aconteceu o filho.


Leia mais:

Soldado do Exército morre com tiro de fuzil dentro de batalhão no AM

Soldado do Exército morre em operação contra narcotráfico