Amazonpedia


Conheça as histórias de amazonenses que movem o Porto de Manaus

Principal portão de entrada da cidade, o Porto de Manaus atende, além do Amazonas, mais quatro estados brasileiros

O Porto é a principal entrada do estado e recebe entre 3 a 4 mil pessoas por dia | Foto: Divulgação

Manaus - O Porto de Manaus é um importante símbolo econômico e social da região Norte, sendo construído ainda na época da borracha, em 1919. Considerado um dos maiores portos flutuantes do mundo, fica localizado na margem esquerda do Rio Negro, a 13 quilômetros do encontro das águas, e atende os estados do Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima e o extremo norte do Mato Grosso. Conheça as histórias de amazonenses que movem o Porto de Manaus na série especial do Amazonpedia.

O Porto é a principal entrada do estado e recebe entre 3 a 4 mil pessoas por dia, com 60 a 70 embarcações diárias. O cais flutuante é composto por duas partes distintas: uma em forma de "T", que serve para atracar navios de cabotagem e outra de trapiche, que atende o embarque e desembarque de passageiros e mercadorias que vão e vêm de cidades do interior e abastecem, por exemplo, o Polo Industrial de Manaus (PIM). O Porto também recepciona grandes transatlânticos, com turistas de várias partes do mundo.

"O Porto de Manaus recebe uma quantidade expressiva de pessoas, existe uma população flutuante. O Porto tem uma estrutura portuária e flutuante que nenhum outro lugar tem, temos toda uma estrutura que nós podemos oferecer para a população, onde o cidadão chega com a sua embarcação, atraca de maneira digna e o passageiro vai quase que diretamente de carro para dentro da embarcação. Eu penso que é um privilégio trabalhar neste lugar", conta Valmir Mendonça, gestor de segurança do Porto. 

O Porto de Manaus é a principal entrada do Amazonas
O Porto de Manaus é a principal entrada do Amazonas | Foto: WEBTV EM TEMPO

É no Porto que é encontrada a régua oficial da medição da subida e descida do nível do Rio Negro. Ela é importante, por exemplo, para que pesquisadores possam observar o comportamento do rio e informar a população a respeito dos riscos de cheias e secas em Manaus. Valderino Pereira, popularmente conhecido como "senhor das águas", é engenheiro civil e o responsável por acompanhar o movimento do rio. Foi ele quem transportou o painel da régua até o local atual. 

"A minha missão aqui é não deixar acontecer nada de ruim ao Porto de Manaus. A leitura é baseada no nível do mar, eu pego o número que tiver na régua e faço o abatimento do número do nível do mar. Eu me sinto bastante feliz em poder ajudar as pessoas, as que moram na parte baixa da cidade, no interior do estado", relata o senhor, que já trabalha há 51 anos no lugar.

Porto da Manaus Moderna

Este Porto foi construído a partir do século XX, para auxiliar a dinâmica dos comerciantes que se concentravam nas proximidades do Porto de Manaus. É importante para a circulação e acesso de pessoas e mercadorias, pela proximidade com alguns dos mais importantes entrepostos comerciais da capital amazonense. Ele recebe os produtores que abastecem os mercados locais como a Feira da Manaus Moderna, a Feira da Banana e o Mercado Adolpho Lisboa, além de ser ponto de encontro com populares que enviam ou recebem encomendas do interior.

Joaquim Maciel, comerciante, conta que a cada viagem transporta cerca de 20 a 35 toneladas de frutas, peixes, verduras, de Costa do Canabuoca, em Manacapuru, município distante 103 quilômetros de Manaus. Ele revela que as vendas dos alimentos no lugar é a única fonte de renda de muitos produtores ribeirinhos.

"A sobrevivência depende tudo daqui, se parar aqui, pára tudo. A gente traz as frutas, peixes, trabalhamos com essas duas funções, tanto sustentar nossa família quanto das outras famílias que tem lá. A gente precisa levar estivas que é o que nos ajuda, nos mantém, como arroz, óleo, açúcar. Nós temos alguns fregueses certos mas outros são os compradores daqui mesmo", conta o homem.

O Porto da Manaus Moderna é um onde produtores do interior desembarcam frutas, verduras e outros alimentos que abastecem a cidade
O Porto da Manaus Moderna é um onde produtores do interior desembarcam frutas, verduras e outros alimentos que abastecem a cidade | Foto: Lucas Silva

Os carregadores compõem uma das peças fundamentais para manutenção do Porto da Manaus Moderna. Eles circulam diariamente pelas ruas com sacos dos produtos retirados das embarcações, que abastecem os mercados locais. Wollaci Gomes é carregador há 46 anos, natural de Fonte Boa, município a 602 quilômetros da capital, e relata o processo dessa cadeia comercial.

"Eu chego aqui 2h e saio daqui 16h ou 17h. Dá uma base de 200 viagens para poder tirar algum dinheiro, tem muito carregador que precisa. Mandioca, farinha, macaxeira, batata, é tudo o que vier no barco, vem de Manacapuru e daqui vai para a Feira da Manaus Moderna, depois para os bairros. Os nossos patrões somos nós mesmos, se sumir alguma coisa a responsabilidade é nossa, a gente que tem que pagar", relata o trabalhador.

Também é do Porto da Manaus Moderna que saem os torcedores que vão ao Festival Folclórico de Parintins, em Parintins, município a 372 quilômetros de Manaus.

Confira o vídeo especial da Amazonpedia:

Leia mais

Porto de Manaus passa a vender passagens no cartão de crédito

Feirantes em Manaus adaptam-se a tempos da pandemia

Conhece as Pancs? No AM têm e podem virar seu prato principal