Pandemia


Aumento de casos de Covid-19 é maior entre classes A e B no Amazonas

Descumprimento das medidas de segurança tem sido observado em áreas de lazer e recreação

FVS-AM ressaltou que uma força-tarefa tem atuado nos locais destinados ao lazer e recreação
FVS-AM ressaltou que uma força-tarefa tem atuado nos locais destinados ao lazer e recreação | Foto: Divulgação

Manaus - Dados da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), apresentados nesta sexta-feira (11), apontam um aumento de 2% nos casos do novo coronavírus (Covid-19) na capital na última semana. O crescimento foi identificado, principalmente, entre pessoas das classes A e B, conforme levantamento apresentado pela diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto.

“Estamos tendo aumento de casos pontuais em aglomerados, principalmente nas classes A e B. Caso nós não tomemos as precauções devidas, podemos sim voltar a ter um crescimento do número de casos (em toda a população). Todos os locais que oferecem riscos para as pessoas precisam continuar aderindo aos protocolos”, alertou Rosemary Pinto.

Ela também reforçou a importância de não se abandonar as medidas de proteção que evitam a proliferação do vírus, como o uso de máscaras e o distanciamento social.

“É importante lembrar que os locais onde as pessoas ficam mais expostas e vulneráveis é onde tiram as máscaras para comer e beber. Restaurantes, bares, festas, locais de lazer como balneários, facilitam a transmissão do vírus”, enfatizou a diretora-presidente.

O estudo evidenciou ainda, em análise da incidência do coronavírus por bairro em Manaus, entre as semanas epidemiológicas 32 e 37, um crescimento no número de casos em bairros como Ponta Negra e Adrianópolis - em sua maioria habitados por pessoas com maior poder aquisitivo.

Internações 

A avaliação do cenário epidemiológico do Amazonas também mostra que há aumento de casos e internações em pacientes das classes mais abastadas. A variação da taxa de ocupação de leitos de UTI, nos últimos 14 dias, é de 11% na rede pública e de 19% na rede privada de saúde.

A diferença é ainda maior em relação à ocupação de leitos clínicos, onde a variação é de 14% nas unidades públicas de saúde e de 67% na rede particular, nas últimas duas semanas.

Fiscalização 

A diretora-presidente da FVS ressaltou que uma força-tarefa tem atuado nos locais destinados ao lazer e recreação, onde têm sido registradas as maiores aglomerações.

“Todas as quintas, sextas, sábados e domingos nós temos uma operação integrada de uma comissão formada pelas forças de segurança, fiscais da Vigilância Sanitária do município de Manaus e da FVS. Esse grupo técnico intensifica fiscalizações em bares, restaurantes, flutuantes e balneários. As medidas não têm sido suficientes para conter a multidão. O que nós vemos é, cada vez mais, um grande número de pessoas se expondo nesses locais”, relatou Rosemary Pinto.

*Com informações da assessoria

Leia mais:

Homem cai em bueiro após ser baleado e morre no SPA da Redenção

Homem é morto após ir buscar R$ 50 em beco na Compensa