Pediatria


Governo do AM vai oferecer serviços pediátricos no Delphina Aziz

Cerca de 4 mil atendimentos mensais serão disponibilizados em 15 especialidades médicas, incluindo exames de alta complexidade

As consultas podem ser marcadas, por meio do  encaminhamento médico, em qualquer  UBS
As consultas podem ser marcadas, por meio do encaminhamento médico, em qualquer UBS | Foto: Divulgação/SES-AM

Manaus - No total, 15 especialidades pediátricas foram inseridas pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) na carta de serviços do Hospital Delphina Aziz, na Zona Norte de Manaus. A unidade vai passar a fazer, a partir de outubro, mais de 4 mil atendimentos pediátricos mensais. A ação faz parte do Programa “Saúde Amazonas”, de reestruturação da saúde no Estado.

Como parte do fortalecimento da rede de tratamento e diagnóstico infantojuvenil, a SES-AM vai oferecer especialidades pediátricas com atendimentos regulados pela Central Unificada de Agendamento de Consultas e Exames (Cura).

Desde a inauguração, em junho de 2014, esta é a primeira vez que o Delphina disponibiliza, em sua capacidade plena, as consultas especializadas, cirurgias e exames para a população, inclusive para o público infantil. 

“Desde que fomos trabalhando a reorganização da rede, identificamos no Delphina Aziz um potencial imenso para atender a população. Na questão pediátrica, identificamos no Delphina também uma possibilidade de aumentar os serviços de atendimento pediátrico com consultas, exames, procedimentos pequenos”, disse o secretário titular da SES-AM, Marcellus Campêlo.

Especialidades

No ambulatório clínico, serão oferecidas pela SES-AM mais de 2,5 mil vagas em especialidades como cardiologia pediátrica, endocrinologia pediátrica, gastroenterologia pediátrica, neurologia pediátrica, pneumologia, psicologia, nutrição, fonoaudiologia, fisioterapia e assistente social.

Em relação aos exames e procedimentos, o atendimento vai ser composto por broncoscopia, diagnóstico por ressonância magnética com sedação/contraste, diagnóstico por tomografia com contraste/sedação, eletroencefalograma, fisioterapia, que ao todo somam mais de 2 mil vagas mensais, via Sistema Nacional de Regulação (Sisreg).

Como agendar? 

De acordo com a secretária executiva adjunta de Políticas em Saúde, Nayara Oliveira Maksoud, para ter acesso o serviço, os pequenos pacientes podem marcar, com o encaminhamento médico, nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), o Sisreg.

“O planejamento realizado para o ambulatório do Hospital Delphina Aziz, que inclui o público infantil, foi pensado em cima da necessidade da população através de série histórica que a regulação trabalha. A partir das necessidades identificadas, e também considerando os pacientes que vêm apresentando sequelas pós-Covid, a carta de serviços foi desenhada para que a gente pudesse atender tanto às necessidades pós-Covid como também às necessidades de solicitações de atendimento clínico e de exames de apoio diagnóstico”, disse a secretária adjunta. 

Rede fortalecida

Em 2020, os hospitais e prontos-socorros infantis atenderam cerca de 80 mil crianças e adolescentes com diferentes enfermidades, na rede de assistência da SES-AM. A rede infantil é uma das mais fortes do Estado nos cuidados à saúde.

Ao todo, a rede conta com 409 leitos destinados aos cuidados pediátricos, em cinco unidades urgência e retaguarda em Manaus, além Serviços e Unidades de Pronto Atendimento (SPAs e UPAs).

Com isso, o Instituto de Saúde da Criança do Amazonas (Icam) passa a ser a referência para internações pediátricas, entre elas em casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAGs), como a causada pela Covid-19. O Hospital da Criança Dr. Fajardo também será unidade de retaguarda infantil, e os atendimentos de urgência e emergência poderão ser feitos nos Prontos-Socorros da Criança das zonas Oeste, Leste e Sul, além dos SPAs e UPAs.

*Com informações da assessoria.

Leia mais:

Beijar os filhos na boca: gesto pode transmitir gripe a doenças fatais

Pesquisa identifica seis grupos de diferentes sintomas da Covid-19

Neste primeiro semestre, 65 pessoas cometeram suicídio em Manaus