Fonte: OpenWeather

    Setembro Amarelo


    Faculdade do AM debate suicídio entre os idosos

    Número de casos tem aumentado a cada ano

    O encontro acontece às 19h na Faculdade Santa Teresa para alunos e professores da instituição | Foto: Divulgação

    A Faculdade Santa Teresa promove nesta quarta-feira (23), em alusão à campanha Setembro Amarelo, o bate papo “Vamos falar de suicídio?”.  O tema será conduzido por Denise Machado Gutierrez, psicóloga, doutora em Saúde da Mulher e da Criança, professora da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e coordenadora de Tecnologia Social do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). Ela irá apresentar resultados de pesquisas sobre a incidência de suicídio de idosos. O encontro acontece às 19h na Faculdade Santa Teresa para alunos e professores da instituição, de forma presencial e online.

    O número de casos tem aumentado a cada ano. O  Boletim Epidemiológico de Tentativas e Óbitos por Suicídio no Brasil, divulgado pelo Ministério da Saúde, alerta para a alta taxa de suicídio entre idosos com mais de 70 anos. Nessa faixa etária, foi registrada a média de 8,9 mortes por 100 mil habitantes nos últimos seis anos. 

    Denise Gutierrez ressalta que o suicídio de idosos está relacionado a múltiplos fatores desde gênero, faixa etária, classe social, entre outros. “O que se percebe através das pesquisas é que as tentativas de suicídio entre os idosos são muito mais efetivas porque eles tem disposições e métodos para concluir o ato. Em média, o jovem faz 20 tentativas para um efeito, o suicídio. No idoso, são quatro tentativas. Muitas vezes, não há tentativa, é única. Eles usam métodos definitivos. O desejo de antecipar a morte pode estar associado à perda da saúde, da autonomia e da própria identidade na sociedade”, disse.

    Diante de toda essa problemática, é de extrema importância uma resposta efetiva das políticas sociais para o enfrentamento dessa questão que tem afetado cada vez mais a sociedade. Durante o bate papo com os estudantes, a ideia é mostrar os resultados das pesquisas e reforçar a importância da capacitação dos profissionais da saúde para atuar nesse cenário. 

    *Com informações da assessoria