Fonte: OpenWeather

    Amazônia


    Bioma da Amazônia perde 75,7% da cobertura florestal em 18 anos

    De 2000 a 2018, a cobertura florestal do Bioma da Amazônia teve 265.113 km² de sua área reduzida

    Entre todos os biomas do Brasil, o bioma da Amazônia e do Cerrado foram os mais afetados
    Entre todos os biomas do Brasil, o bioma da Amazônia e do Cerrado foram os mais afetados | Foto: Ibama

    Manaus – Segundo o levantamento Contas de Ecossistemas: Extensão por Biomas (2000-2018), realizada pelo Instituto de Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 75,7% da cobertura florestal do Bioma da Amazônia foi reduzida. De 2000 a 2018, a área perdeu 265 113 km² de extensão.

    De todos os biomas pesquisados durante esse período, a Amazônia teve a sua vegetação mais explorada e reduzida. Dessas mudanças, 50,2% são provenientes do uso da terra para pastagem com manejo, e os 31% contabilizam as conversões de vegetação florestal para mosaico de ocupações em áreas com florestas.  

    De acordo com o site da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), essa técnica de pastagem com manejo refere-se ao “conjunto de ações que visa obter do rebanho a maior quantidade de carne e leite que o animal pode produzir por área, sem afetar o desenvolvimento da forrageira e a qualidade do solo. ”

    Mudança da cobertura verde

    Entre todos os biomas do Brasil, como a Caatinga, a Mata Atlântica, o Pantanal e a Pampa, o bioma da Amazônia e do Cerrado tiveram os maiores números de áreas naturais prejudicadas, contabilizando 86,2%, somando 269 801 km² e 152 706 km², respectivamente. O menos explorado foi o Pantanal, com a redução de seu território em 1,6%.

    Na montagem do IBGE, você pode conferir o mapeamento de 2000 e 2018
    Na montagem do IBGE, você pode conferir o mapeamento de 2000 e 2018 | Foto: Divulgação/IBGE

    Em 2000, as áreas florestais foram substituídas pelas de pastagem com manejo, com 248.794 km² de sua extensão e passou para 426 424 km² do bioma em 2018. Com isso, a área agrícola apresentou um crescimento de 288,6%, apresentando um aumento maior entre 2012 e 2014, segundo o estudo Contas de Ecossistemas: O uso da terra nos biomas brasileiros 2000-2018, também coordenada pelo IBGE. 

    Apesar do quantitativo negativo, houve uma diminuição de áreas exploradas nos últimos anos. No total da vegetação em todo o País, cerca de 500 000 km² foram afetadas com essas mudanças.  

    Leia mais:

    Amazonas é o terceiro Estado mais desmatado do Brasil

    'Amazone-se', programa retoma atividades turísticas no Amazonas

    Dia da Amazônia é marcado pela luta para a sobrevivência do bioma