Administração penintenciária


Presídios do AM terão seis novos cursos profissionalizantes

Seis novos cursos profissionalizantes serão oferecidos nos CDPMs I e II até o final deste ano. Cerca de 200 reeducandos terão a oportunidade de aprender um novo ofício e remir suas penas

 

Além dos 30 formandos em serigrafia, outros 90 reeducandos concluíram os cursos de Pedreiro, Barbeiro e Elétrica Predial.
Além dos 30 formandos em serigrafia, outros 90 reeducandos concluíram os cursos de Pedreiro, Barbeiro e Elétrica Predial. | Foto: Divulgação

Manaus - Em setembro, a Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP) do Amazonas oferecerá novos cursos profissionalizantes para as unidades prisionais CDPMs 1 e II. A partir de outubro, novas turmas começam a ser capacitdadas.

Serão oferecidos cursos de Refrigeração, Pintura Predial e Corte e Costura. Cada turma atenderá entre 10 e 15 reeducandos de cada uma das duas unidades prisionais. A carga horária desses cursos varia de 40 a 120 horas.

Os trabalhos desenvolvidos nas aulas práticas contribuem para a manutenção das instalações e equipamentos dos presídios. Durante o curso de Corte e Costura, por exemplo, os alunos confeccionarão novos uniformes para os internos das unidades. 

Leia tambémEx-interno faz arte dentro de presídio no Amazonas e muda de vida

Ainda neste ano, os reeducandos dos CDPMs I e II terão as oportunidades de realizar cursos de Instalação de forro PVC e Gesso, Carpintaria e Confecção de Biojóias.

Trabalho e geração de renda

Os cursos fazem parte do programa de ressocialização do CGPAM, cujo objetivo é capacitar profissionalmente os reeducandos para que os mesmos possam trabalhar e gerar a própria renda quando conquistarem a liberdade novamente. A participação nos cursos oferece remição das penas, de acordo com a Lei de Execução Penal nº 7.210/84.

Os cursos oferecidos pela SEAP e CGPAM são certificados pelo Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (CETAM), por meio do Programa de Capacitação Profissional do Governo Federal (PROCAP). 

Leia mais:

Confiava na minha pistola, agora confio em Deus, diz ex-detento