Crime


Ex-secretários tinham grupo no WhatsApp para alinhar discurso na CPI

Rodrigo Tobias recebeu uma mensagem solicitada por João Paulo, que “não apagasse aquelas mensagens”

De acordo com a PGR, o grupo que se chamava “Só nós aqui”
De acordo com a PGR, o grupo que se chamava “Só nós aqui” | Foto: Divulgação

Manaus – Em segunda fase de apreensão contra investigados da Operação Sangria realizada nesta quinta-feira (8), a subprocuradora-federal da República, Lindôra Araújo, confirmou que os ex-secretários Rodrigo Tobias, João Paulo Marques e Perseverando da Trindade criaram um grupo no aplicativo de mensagens WhatsApp para troca de informações sobre discursos da CPI da Saúde da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

De acordo com a PGR, o grupo que se chamava “Só nós aqui”, possuía apenas os contatos do três ex-secretários. Segundo as investigações do último dia 9 de junho, Rodrigo Tobias recebeu uma mensagem solicitada por João Paulo, que “não apagasse aquelas mensagens”.

Segundo a subprocuradora-geral da República, o grupo foi criado para sustentar a participação de Rodrigo Tobias no esquema de fraude, no âmbito da Secretaria de Saúde do Amazonas, para a compra de respiradores com preço superfaturado.

Nesta quinta-feira (8), a Polícia Federal prendeu o ex-secretário Rodrigo Tobias, o engenheiro clínico Ronald Gonçalo Santos, a ex-secretária executiva de Saúde da capital Dayana Priscila Mejia, o marido da ex-secretária de Comunicação Daniela Assayag (alvo apenas de busca e apreensão), Luiz Carlos Avelino Júnior, e o empresário Gutemberg Leão Alencar.

Leia Mais

Interpol identificou que verba da saúde do AM foi enviada ao exterior

Operação da PF no Amazonas é pauta principal em debates na Aleam