Perigo


Sementes desconhecidas de países asiáticos chegam ao AM

Produtores dos municípios de Humaitá e Autazes receberam as sementes sem solicitação e acionaram o órgão estadual

As sementes estavam no interior do Amazonas
As sementes estavam no interior do Amazonas | Foto: Divulgação/Adaf

Manaus - Uma das coisas mais temidas pelos amazonenses aconteceu. As sementes desconhecidas chegaram para moradores dos municípios de Humaitá e Autazes, no Amazonas. A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) registrou remessa de primeiras sementes e repassou ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Cinco pacotes foram registrados em Humaitá e dois em Autazes. Há 15 dias, a Adaf fez um alerta fitossanitário, informando à população sobre como proceder se houver recebimento dessas sementes misteriosas.  

Em um dos casos das sementes notificadas à Adaf, a pessoa informou que havia realizado uma compra pela internet e de brinde um pacote com sementes misteriosas estava contido na embalagem.  A autarquia estadual alerta que a entrada de vegetais sem autorização traz riscos fitossanitários e que os pacotes não devem ser abertos e nem jogados no lixo.   

“Cumprindo um protocolo sanitário do Mapa, nós estamos repassando as sementes de origem desconhecida ao superintendente federal da Agricultura no Amazonas (Guilherme Pessoa) para que ele possa tomar as medidas cabíveis. É importante destacar que a pessoa, ao receber essas sementes de origem desconhecida, não abra e encaminhe a um escritório da Adaf para que possamos fazer o encaminhamento devido à SFA”, alerta o diretor-presidente da agência, Alexandre Araújo.  

A abertura dos pacotes e/ou semeio das sementes pode implicar na disseminação de doenças, pragas, ervas daninhas que poderão causar prejuízos econômicos irreparáveis ao agronegócio familiar e empresarial. 

O que fazer quando receber?

A pessoa que receber pelos Correios pacotes com sementes não solicitadas deve comunicar o fato imediatamente à Adaf ou ao Mapa pelos telefones (92) 99390-1750 ou 0800-704-1995, sem medo de ser penalizado. A população pode comunicar também pelo AdafOuv: (92) 99380-9174 (ligação e WhatsApp). 

O superintendente federal da Agricultura no Amazonas (SFA-AM), Guilherme Pessoa, comenta que, em caso de notificação, o material é encaminhado ao Mapa para ser analisado pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária, para identificação das espécies internalizadas irregularmente. 

*Com informações da assessoria

Leia mais:

Motociclistas se envolvem em acidentes de trânsito na zona Sul

Uma mulher é morta a cada 9 horas desde o início da pandemia