Estudo Científico


Estudo pode conter a proliferação do mosquito da malária

Pesquisa conta com pesquisa de plantas amazônicas e utilização de triagem virtual de compostos orgânicos

O projeto além de inibir a doença transmitida pelo mosquito, também pode colaborar para futuras pesquisas | Foto: Reprodução Internet

Manaus – Testes feitos em laboratório apontaram compostos orgânicos que podem ser utilizados como estratégia para controle populacional do inseto vetor da doença, o mosquito Anopheles, transmissor da malária

O estudo que foi realizado com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) contou a colaboração de pesquisadores que avaliaram compostos bioativos encontrados em plantas nativas da Amazônia ou depositados em bancos de dados de moléculas têm potencial para inibir enzina trealose-6-fosfato fosfatase, proteína produzida pelo organismo do Anopheles.

O pesquisador do estudo Marcos Cézar, explicou como o estudo foi utilizado. “Funcionam na forma de impedir o desenvolvimento normal do mosquito ou provocar a morte ainda no estágio larval, neste caso teríamos que ter dados de estudos in vivo (experiência com as larvas dos mosquitos) para comprovar sua eficácia. Como a molécula pertence a uma via metabólica importante, que está conectada a outras vias, é de se esperar que a sua inibição provoque efeitos deletérios no organismo do mosquito, como foi dito anteriormente. Sendo assim, poderíamos conter a sua proliferação, controlando a sua população”, disse.

Para ele, a importância da pesquisa além de inibir a doença transmitida pelo mosquito, também pode colaborar para futuras pesquisas.

O projeto contou com duas bases de pesquisa
O projeto contou com duas bases de pesquisa | Foto: Divulgação/Fapeam

“O fato de a região amazônica ser área endêmica de malária que é transmitida por mosquitos do gênero Anopheles. Como a enzima trealose-6-fosfato fosfatase é produzida pelo metabolismo deste mosquito vetor foi relevante iniciar um estudo que fizesse uma prospecção de inibidores potenciais para esta enzima. Devido esta molécula atuar em uma importante via metabólica, sua inibição provocaria um efeito cascata sobre diferentes funções no metabolismo. Além disso, a técnica usada neste estudo pode ser utilizada em outros campos de atuação da pesquisa científica, gerando grandes oportunidades”, afirma.

O pesquisador explica ainda que a construção da pesquisa não foi tão complicada, porém, ele teve que aprender maissobre técnicas utilizadas na pesquisa.

“O processo em si não foi difícil. Na técnica de bioprospecção tive de aprender sobre os métodos utilizados para a obtenção das frações dos extratos vegetais, por exemplo. Com relação à triagem virtual de compostos, é uma técnica computacional utilizada na descoberta de compostos orgânicos que possam ser candidatos a ligantes de uma macromolécula (proteína receptora ou enzima) ”, explica.

O pesquisador do estudo Marcos Cézar
O pesquisador do estudo Marcos Cézar | Foto: Arquivo Pessoal

Pesquisa

O projeto contou com duas bases de pesquisa (prospecção a partir dos extratos vegetais de plantas amazônicas e outra por estudos de triagem – screening virtual de compostos orgânicos por acomplamento/ ancoragem – docking, molecular).

A primeira buscou descobrir a existência de alguma espécie na flora amazônica que produza bioativos que sejam eficazes para inibição da atividade do mosquito. Não foram encontrados compostos que pudessem inibir a enzima, sendo esta primeira com dose de frações e óleos essenciais com atividade apenas em altas concentrações, não sendo utilizados em testes in vitro.

A segunda foi utilizada para demonstrar se compostos orgânicos são eficazes na inibição desta enzima. Foi verificado neste trabalho a triagem virtual e o acoplamento molecular que demonstraram técnicas eficazes. Dessa forma, tendo afinidade para pesquisas futuras no campo catalítico da trealose-6-fosfato fosfatase.

Malária

Causada por um protozoário, a malária é uma doença infecciosa febril aguda. Geralmente é transmitida pela picada de mosquitos do gênero Anopheles contaminados pelo protozoário do gênero Plasmodium. Apenas a fêmea do mosquito Anopheles pica o ser humano e, durante a picada, ocorrendo a inoculação dos parasitos no corpo humano, em uma fase que eles são conhecidos como esporozoítos.

A malária apresenta um período de incubação de 7 a 14 dias, dependendo do agente causador, variando entre meses. Entre os sintomas apresentados estão:  calafrios, sudorese e febre.

Leia Mais:

Meditação e Neurociência para performance de alunos no vestibular

Pesquisadores descobrem verme em inseto que pode causar cegueira

Pesquisa investiga transmissão de Covid-19 entre homens e animais