Educação


Pesquisa do Amazonas recebe prêmio internacional

O estudo foi reconhecido pela Associação Latino Americana de Investigação em Educação em Ciências (Lasera)

A pesquisa recebeu o prêmio com a outorga de um certificado pelo mérito da proposta metodológica desenvolvida pela pesquisadora do projeto, Ataiany Marques e orientado pela Prof.ª Drª. Edna Lopes Hardoim
A pesquisa recebeu o prêmio com a outorga de um certificado pelo mérito da proposta metodológica desenvolvida pela pesquisadora do projeto, Ataiany Marques e orientado pela Prof.ª Drª. Edna Lopes Hardoim | Foto: Divulgação FAPEAM

Manaus -  Um estudo científico sobre Aprendizagem Colaborativa (AC), no ensino de química orgânica, foi premiado internacionalmente pela proposta metodológica com interação entre aluno-aluno e aluno-professor.

O estudo que tem apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam),  buscou desenvolver no aluno, a responsabilidade individual, a interdependência positiva, a interação simultânea e as habilidades cognitivas e interpessoais, além de contribuir para a aprendizagem do conteúdo de cadeias carbônicas.

O estudo foi reconhecido pela Associação Latino Americana de Investigação em Educação em Ciências (Lasera), durante o Seminário Lasera Guatemala 2020, ocorrido em outubro de modo virtual, na Guatemala, país localizado na América Central.

A pesquisa recebeu o prêmio com a outorga de um certificado pelo mérito da proposta metodológica desenvolvida pela pesquisadora do projeto, Ataiany Marques e orientado pela Prof.ª Drª. Edna Lopes Hardoim pertencentes ao Programa de Pós-Graduação Doutorado em Educação em Ciências e Matemática (PPGECEM) da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática (Reamec).

Os critérios de avaliação considerados pelos organizadores do evento, para premiar o trabalho, foram o de melhor tese de doutorado na área de ensino de química, originalidade, qualidade acadêmica, contribuições para a disciplina e produtos gerados, como artigos de investigação em revistas internacionais, livros, capítulos de livros, apresentações em congresso da área, protótipos, patentes entre outros.

O projeto “Aprendizagem colaborativa: uma proposta metodológica de construção do conhecimento em química orgânica” foi desenvolvido com 27 alunos matriculados no 3º ano do Ensino Médio Integrado do curso Técnico em Informática do Instituto Federal do Amazonas (Ifam/Campus Parintins – AM), em 2017, e amparado pelo Programa de Apoio à Pós-Graduação Stricto Sensu (Posgrad) Resolução Nº 018/2015.

Metodologia 

O tema “A química nas Drogas” foi utilizado para desenvolver a proposta metodológica. Os estudantes pesquisaram em grupo e de forma colaborativa a composição química, a fórmula estrutural, molecular, os efeitos no organismo e o impacto social das drogas líticas e ilícitas.

O acompanhamento do processo de aprendizagem dos alunos foi feita a partir de uma avaliação construída com base na Taxonomia de Bloom Revisada (TBR), que consistiu em elaborar questões seguindo uma classificação hierárquica de processos cognitivos, com níveis deferentes de aprendizagem e complexidade de processos mentais

A avaliação teórica foi realizada em grupo com as respostas coletadas pelo aplicativo Plickers, ferramenta que permite acompanhar o desempenho dos alunos em tempo real, promove a personalização do ensino, interatividade, engajamento dos alunos e ainda auxilia nos quesitos avaliativos com discussão das questões incorretas e esclarecimento de dúvidas logo após serem detectadas.

A análise prática, também foi desenvolvida em grupo, por meio do Kit Atomlig, peças de modelagem atômica utilizada para construir, nomear e montar as moléculas das cadeias carbônicas das drogas lícitas e ilícitas. As mesmas moléculas, também foram construídas no software ACD Labs no computador. A atividade teve a finalidade de ensinar o conteúdo para os estudantes, a partir de sentidos, como o tato e a visão.

Para finalizar a implementação da proposta os estudantes organizaram uma exposição “A química nas Drogas” aberta aos docentes, discentes e demais servidores do Ifam campus Parintins sobre os efeitos dessas substâncias no organismo.

Aprendizagem Colaborativa

De acordo com a pesquisadora do projeto, Ataiany Marques, a AC começou a ser estudada a partir da década de 1970
De acordo com a pesquisadora do projeto, Ataiany Marques, a AC começou a ser estudada a partir da década de 1970 | Foto: Divulgação FAPEAM

De acordo com a pesquisadora do projeto, Ataiany Marques, a AC começou a ser estudada a partir da década de 1970, com uma estratégia didática que promove no estudante uma postura ativa em sala, o incentiva a ter autonomia e a desenvolver o trabalho em grupo. O professor, papel central das atenções na sala de aula, passa a ser o mediador cognitivo.

“Constatamos que a proposta metodológica contribuiu para o processo de ensino-aprendizagem, trouxe melhor interação entre os alunos, dado que o conhecimento é construído socialmente, e ajudou na aprendizagem dos estudantes com dificuldades, motivando a participação deles nas atividades”, destacou Ataiany Marques.

Para a pesquisadora, o ensino de conceitos químicos nas escolas públicas do Brasil, de modo geral, pouco tem avançado além do ensino por transmissão de conteúdo, centrado no professor, que não faz sentido para o estudante e que avalia apenas a memorização de fórmulas, equações e reações, em detrimento do conhecimento adquirido. Por isso, a importância de desenvolver estudos especificamente sobre o tema.

Posgrad

O Programa de Apoio à Pós-Graduação Stricto Sensu (Posgrad) da Fapeam tem como objetivo apoiar a formação de recursos humanos altamente qualificados nos Programas de Pós-Graduação Stricto sensu (PPGSS), aprovados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), por meio da concessão de bolsas de mestrado e doutorado.

*Com informações da assessoria

Leia Mais:

Festival 'Olhar do Norte' acontece de 5 a 7 de dezembro

Concurso de artigos oferece bolsa integral como prêmio

Pós-graduação na área previdenciária: Amazonprev e OAB firmam parceria