Fonte: OpenWeather

    Medidas Pandemia AM


    Covid: governo do AM diz que adotou mesmas medidas de outras regiões

    Governo do Amazonas diz que adotou mesmas medidas que se repetem no Brasil e no mundo contra o avanço da pandemia que ameaça fugir do controle no Estado. Saiba mais na matéria:

    Manaus (AM) - As novas medidas de restrição do comércio e eventos sociais adotadas pelo Governo do Amazonas para conter o avanço da covid-19 seguem uma política mais dura contra a pandemia aplicada por outros Estados e países nas últimas semanas.

    De acordo com o governo do Estado, com o afrouxamento dos cuidados com a proliferação do novo coronavírus por parte da população, neste final de ano, e o surgimento de novas variantes do vírus, ocorreu um grande alerta no mundo. Isso fez com que o governo do Amazonas adotasse medidas mais contudentes para conter a disseminação do Coronavírus.

    Dados da FVS acendem alerta

    Dados da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) do Estado mostram que apenas na véspera do Natal foram registrados 999 novos contaminados pelo coronavírus. Nesse mesmo dia, 65 pessoas foram internadas, o número é o maior desde o dia 25 de maio deste ano.

    A situação se torna ainda mais dramática considerando a taxa de ocupação dos leitos na rede pública de saúde, crescente nas últimas semanas, variando entre 97% e 98% das UTIs.

    Após dias de verdadeira operação de guerra para aumentar a oferta de leitos, os dados do Comitê de Enfrentamento ao Covid-19 revelam que essa ocupação, nesta sexta-feira (25/12), ficou em 92,8% para UTIs e de 74,8% para leitos clínicos, destinados aos casos menos graves.

    Fiscalização

    Nesse sábado (26/12), o Governo do Estado inicia a fiscalização em cumprimento ao decreto governamental n° 43.234/20, até 10 de janeiro de 2021. Vai funcionar basicamente os serviços essenciais.

    Shoppings e restaurantes, por exemplo, poderão funcionar nos sistemas de drive-thru e delivery.

    “A maioria dos estados brasileiros estão tomando atitudes como essa de restrição, levando em consideração o aumento significativo de casos, alguns países da Europa, a Alemanha, por exemplo, teve que tomar medidas de restrição nesse fim de ano. Ou a gente faz isso, ou lá no futuro nós teremos muito mais prejuízos. Quando se perde uma vida, esse é um prejuízo irreparável, não tem como voltar, não tem como recuperar essa vida. O que a gente tem que fazer é prevenir e é isso que o Estado do Amazonas está fazendo", explicou o governador Wilson Lima.

    BRASIL

    Em São Paulo, o Governo local anunciou a volta da Fase Vermelha, decretando o endurecimento das medidas restritivas. Nos dias 25, 26 e 27 de dezembro e 1º, 2 e 3 de janeiro, podem funcionar praticamente apenas os serviços essenciais. 

    Nesses dois períodos, além das medidas já válidas para os demais dias, não funcionam na maior cidade do País: shoppings; lojas; concessionárias; escritórios; bares, restaurantes e lanchonetes (exceto para delivery); academias; salões de beleza e barbearias; cinemas, teatros e outros estabelecimentos culturais.

    No Rio de Janeiro, ainda no dia 10 de dezembro, o Governo estadual, em conjunto com a Prefeitura, decidiu uma série de medidas, entre elas a proibição do estacionamento na orla nos fins de semana e feriados para evitar aglomerações nos calçadões e praias.

    Além disso, foi definido o escalonamento dos horários de funcionamento dos setores econômicos para reduzir a aglomeração nos transportes coletivos, e ainda a proibição do uso de áreas comuns de lazer em condomínios, onde não são usadas máscaras, como saunas e piscinas.

    Nesta sexta-feira de Natal, o Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina (TJSC) manteve as medidas adotadas pelo governo estadual, mais rígidas para hotéis, casas noturnas e eventos sociais. Cinemas e teatros obtiveram liminar, mas a administração estadual vai recorrer, preocupada com o avanço da pandemia.

    Na decisão, a desembargadora Ana Lia Carneiro, conforme reportagem do Portal de notícias G1, ‘’todas as regiões (de Santa Catarina) estão em risco gravíssimo para a Covid-19 atualmente’’. 

    EUROPA

    Após a descoberta nos últimos dias de uma nova variação do coronavírus no Reino Unido, a Europa entrou em alerta. Isso porque a nova cepa é 70% mais transmissível, ainda que não se saiba se é mais letal, mas que certamente lotará os hospitais. Por conta disso, diversos países proibiram voos para o Reino Unido, em especial a Inglaterra. E além disso, novas medidas restritivas foram adotadas, com vigência até pelo menos a segunda semana de janeiro.

    Após registrar novo recorde de novos casos em 24 horas, 13 mil na véspera de Natal, a Holanda estabeleceu nova quarentena, de cinco semanas, até 19 de janeiro, destaca reportagem do grupo internacional de comunicação BBC. Nesse período, só serviços essenciais estão autorizados pelo Governo a funcionar.

    Na Alemanha, a história se repete. Nova quarentena desde meado deste mês de dezembro. Do último dia 16 até 10 de janeiro, o Governo alemão impôs o fechamento de escolas e lojas não essenciais. As reuniões foram limitadas a um máximo de cinco pessoas de duas famílias.

    Na França, segundo reportagem da BBC, desde o dia 15 desse mês, a quarentena foi substituída por um toque de recolher nacional: das 20h às 6h, até 20 de janeiro.

    Essa restrição foi suspensa na véspera de Natal, mas permanecerá em vigor no Ano Novo. ‘’Bares, restaurantes, teatros, cinemas e estações de esqui estarão fechados’’, destaca a BBC.

    Na Bélgica, as regras atuais permitem que as residências sejam visitadas por no máximo uma pessoa (sempre a mesma pessoa). É o que o governo Belga chama de "contato próximo

    Leia mais:

    www.emtempo.com.br/ultimas