Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    Decisão de abrir leitos para Covid é coerente, diz presidente do CRM

    Governo do Estado está convertendo 13 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 46 de enfermaria para o atendimento exclusivo de mulheres com a Covid-19.

    O médico Jorge Akel se disse a favor da iniciativa | Foto: Divulgação

    Manaus (AM) - O presidente em exercício do Conselho Regional de Medicina (CRM), Jorge Akel, esteve nesta terça-feira (5) com o secretário de Estado de Saúde, Marcellus Campêlo, no Instituto da Mulher Dona Lindu (IMDL), onde o Governo do Estado está convertendo 13 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 46 de enfermaria para o atendimento exclusivo de mulheres com a Covid-19. 

    O médico se disse a favor da iniciativa, que, para ele, é coerente, considerando que os leitos serão ocupados por pacientes que têm o perfil do IMDL, em espaço segregado dos demais pacientes da unidade. 

    "Só para esclarecer, esses novos leitos não são uma porta aberta para todos. É para as pacientes que fazem parte do protocolo de atendimento desse instituto e que são positivas para Covid-19. Então, nada melhor que uma paciente da ginecologia e da obstetrícia ser atendida por profissional especialista, dentro do hospital que é referência para tal. E, hoje, a Covid-19 vai fazer parte de todas as especialidades", ponderou.

    O secretário Marcellus Campêlo ressaltou que a ala exclusiva para Covid-19, no segundo andar do Instituto da Mulher Dona Lindu, obedece ao protocolo de segregação da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). 

    "Nós precisamos receber essa paciente de uma forma segura, segregada, com equipes de saúde e pacientes exclusivos para esse andar. Não haverá circulação de um andar para outro. Temos, aqui, a oportunidade de dotar o instituto de mais estrutura, que ficará como legado e, principalmente, agora com o conhecimento do Conselho Regional de Medicina, que está aprovando esse modelo", disse o secretário.

    *Com informações da assessoria