Fonte: OpenWeather

    Crise


    “Convívio virou uma dificuldade”, diz casal que se separou na pandemia

    Até agosto deste ano, 394 casais se separam, conforme a Associação dos Notários e Registradores do Estado do Amazonas

     

     A terapeuta pontua que o casal deve buscar pelo autoconhecimento
    A terapeuta pontua que o casal deve buscar pelo autoconhecimento | Foto: UNSPLASH/DIVULGAÇÃO

    Manaus –  Enquanto alguns manauaras tentam se acostumar a um cotidiano de restrições para conter a disseminação do coronavírus, outros não se acostumam com a nova rotina e o isolamento desfaz lares.

    Considerando os registros de divórcio até agosto, 394 casais se separam no Amazonas, segundo a Anoreg-AM (Associação dos Notários e Registradores do Estado do Amazonas).

    Caminhos diferentes

    Uma mulher que resolveu não se identificar, relatou que devido a rotina diferente com o ex-marido, o dia a dia começou a piorar, o convívio diário gerou conflitos pessoais que acabaram terminando no divórcio.

    “Eu e ele tivemos alguns conflitos pessoais e com a pandemia e o convívio diário, sem a rotina de antes, as coisas pioraram. Vimos que seguimos caminhos diferentes, mas permaneceu uma amizade”, comentou.

    No período de isolamento, a personagem comentou que houve um companheirismo de ambas as partes, mas ao mesmo tempo a rotina se tornou uma dificuldade, gerando estresse e discussões.

    “Pegamos a Covid-19 na mesma época, nos isolamos, houve um companheirismo muito grande, mas ao mesmo tempo, o convívio 24h também se tornou uma dificuldade, pois acabávamos discutindo muito", revela.

     “Durante o isolamento social nos afastamos”

    O casal acabou não mantendo tanto contato durante a pandemia. E após insistir no relacionamento e ver que não havia solução, o casal optou pela separação amigável. “Se um casal não se dá bem junto, para quê insistir, se não deu mais certo? Tanto, que separamos amigavelmente”, conta

    Segundo a psicóloga e terapeuta Michele Barbosa, diversos problemas podem acarretar conflitos entre casais e a busca pela terapia se mostra uma aliada principalmente em um momento de pandemia.

    “A comunicação, home office, crianças em casa, isolamento social, redução das atividades de lazer– tudo isso tem aumentado enormemente os conflitos entre casais. A busca de terapia, nesse cenário, tem um papel ainda mais importante. E a necessidade de manter a quarentena não é nenhum empecilho”, explicou.

    A servidora pública Raisa Lima, após 14 anos casada, decidiu durante a pandemia que não tinha muito em comum com o parceiro e, isso dificultava o convívio.

    "Quando nos conhecemos, achávamos que as diferenças iam nos unir, mas o casamento acabou ficando desgastado. Durante a pandemia só ficou evidenciado o quanto não dava mais, a gente morava um com o outro, havia respeito, mas nenhum sentimento e acabamos nos separando", afirmou. 

    Dicas: relacionamento firme durante a pandemia

    A terapeuta pontua que o casal deve buscar pelo autoconhecimento, além de passos como a empatia, diálogo e intimidade. Caso nenhuma das opções venha a funcionar no relacionamento, o casal deve buscar pela terapia de casal.

    “Em primeiro lugar o casal deve buscar o autoconhecimento, juntamente com isso deve-se ter respeito mútuo, busca da empatia, diálogo, parceria, intimidade, tolerância, atenção aos filhos, divisão de tarefas e se nada disso adiantar por último e não menos importante procure ajuda de um profissional, busque a terapia de casal”, enfatizou.

    Leia Mais:

    Saiba quais direitos em cartório abrangem a pessoa com déficit mental

    "Cartório em Números" aponta dados vitais sobre cidadãos brasileiros

    Divórcio é contagioso entre amigos? Estudo avalia a hipótese