Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    Nova variante: governo vai analisar amostras de pacientes com Covid-19

    Nova cepa foi encontrada no Japão, em pessoas que estiveram no Amazonas

    Secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo, diz que Governo Federal vai analisar amostras de pacientes com o novo coronavírus em busca da nova variante | Foto: Sandro Pereira/FotoArena/Estadão Conteúdo

    Manaus (AM) - O governo do Japão anunciou no último domingo (10) que detectou em seu território uma nova variante do coronavírus, em quatro viajantes que vieram do Brasil. Os quatro passageiros estavam no Amazonas e desembarcaram no aeroporto internacional de Tóquio no dia 2 de janeiro. Por conta disso, o secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo, disse nesta segunda-feira (11), durante a coletiva que, 200 amostras de exames RTP-CP de pacientes com o novo coronavírus no Amazonas serão analisadas em um estudo genético para determinar se a nova onda da doença no estado é causada por esta nova variante.

    "Tivemos uma reunião ontem (10) com o secretário da Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde. Ele já requisitou do Lacen [Laboratóio Central do Amazonas] 200 amostras para serem analisadas de forma emergencial em estruturas do Rio de Janeiro. Ele não confirma nem descarta [a nova variante]. Ele fará um estudo amplo dessas 200 amostras para chegar a uma conclusão, um estudo genético", destaca Campêlo.

    Conforme informações do site UOL, o governador Wilson Lima (PSC) havia dito que "não há comprovação científica" sobre a gravidade ou alguma mutação do vírus que está circulando em Manaus. "Tudo isso está sendo estudado", disse. "É histórico que nesse período chuvoso os casos de síndrome respiratória aguda aumentem consideravelmente. E aí mistura."

    Nova variante

    Citado pela agência de notícias Kyodo News, o chefe do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas do Japão, Takaji Wakita, disse que a variante é diferente das que foram identificadas no Reino Unido e na África do Sul, que já estão se espalhando por outros países.

    No entanto, o Ministério da Saúde do Brasil informou que, segundo as autoridades japonesas, a nova variante possui 12 mutações, sendo que uma delas é a mesma encontrada nas variantes identificadas no Reino Unido e na África do Sul, "o que implica em maior potencial de transmissão do vírus".

    "Não há, no entanto, nenhuma evidência científica que aponte impacto na efetividade do diagnóstico laboratorial ou das vacinas em estudo atualmente contra a covid-19", disse o governo brasileiro em nota.

    Amazonas em fase roxa

    O Amazonas entrou na fase roxa da pandemia do novo coronavírus: a de mais alto risco. A informação foi divulgada pela diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) do Amazonas, Rosemary Costa Pinto, durante reunião entre representantes do estado e do Ministério da Saúde. “A nossa análise de risco está apontando que estamos num nível muito alto, de muito alto risco. Portanto, nós saímos da fase vermelha e estamos na fase roxa”, alertou.

    Foi com base em um parecer técnico da FVS que a Justiça amazonense decretou, no dia 2 de janeiro, a suspensão das atividades no estado por 15 dias. Para atingir a fase roxa, a diretora-presidente da FVS afirmou que é levado em conta aumento do número de casos, internações e óbitos pela Covid-19.

    Leia Mais

    Viajantes do Amazonas apresentam nova variante do coronavírus no Japão

    Com cenário agravante, Manaus entra em "alerta roxo" da Covid-19