Fonte: OpenWeather

    Operação de guerra


    Pacientes do AM são transferidos pela FAB para outros estados

    A saúde amazonense entrou em colapso com a segunda onda da Pandemia de Covid-19, agora, parcerias com outros estados visam diminuir a superlotação dos hospitais e a falta de oxigênio

     

    Mais de cinco estados entraram em acordo para oferecer ajuda ao Amazonas
    Mais de cinco estados entraram em acordo para oferecer ajuda ao Amazonas | Foto: Ministério da Defesa

    Manaus - A falta de oxigênio deixou a segunda onda do coronavírus mais grave em Manaus. De acordo com o governador Wilson Lima, em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (14), pacientes do Amazonas, acometidos de Covid-19, serão transferidos para outros estados do país.

    Goiás, Piauí, Maranhão, Brasília, Paraíba e Rio Grande do Norte foram os estados que entraram em acordo e receberão os pacientes. 

    A medida foi tomada em parceria com os governadores dos estados citados, como forma de amenizar o colapso que vive a saúde amazonense. Os pacientes serão deslocados por aviões da Força Aérea Brasileira (FAB).

    "Estamos montando um grupo de apoio para os pacientes, que vão para esses outros estados. Estamos em uma operação de guerra. O oxigênio é o insumo mais consumido nas unidades hospitalares do Amazonas, diante dessa pandemia", disse Wilson Lima. 

    O consumo do oxigênio aumentou em mais de dez vezes, no estado, o que causou uma escassez nos estoques. A FAB trouxe para Manaus, na manhã de quarta-feira (13), seis grandes tanques de oxigênio, os chamados isotanques. 

    Enfermeiros do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí fizeram reclamações sobre o transporte de novos pacientes. De acordo com os profissionais, eles não teriam sido avisados e os equipamentos de proteção individual Epis, não seriam o suficiente para todos. 

    Leia mais: 

    Wilson Lima decreta toque de recolher das 19h às 6h no Amazonas 

    Vídeo: Para proteger população, Pará fecha fronteira amazonenses  

    Cemitérios de Manaus voltam a realizar sepultamentos a noite