Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    Hospitais do AM recebem reforço de mais 30 médicos de outros estados

    Objetivo da parceria com a AMB é o fortalecimento da assistência aos pacientes, que estão em tratamento da Covid-19 em UTIs

     

    Dos 30 médicos, que integram o projeto “I Força-Tarefa AMB Covid-19”, 15 já estão atuando no Instituto da Mulher Dona Lindu
    Dos 30 médicos, que integram o projeto “I Força-Tarefa AMB Covid-19”, 15 já estão atuando no Instituto da Mulher Dona Lindu | Foto: Divulgação/SES-AM

    Uma parceria entre a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) e a Associação Médica Brasileira (AMB) vai reforçar o atendimento de pacientes com o novo coronavírus (Covid-19), em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), de três hospitais da rede estadual de Saúde do Amazonas. Dos 30 médicos, que integram o projeto “I Força-Tarefa AMB Covid-19”, 15 já estão atuando no Instituto da Mulher Dona Lindu, e nos hospitais Nilton Lins e Platão Araújo.  

    O objetivo da parceria com a AMB é o fortalecimento da assistência aos pacientes, que estão em tratamento da Covid-19 em UTIs. O médico e coordenador do projeto da AMB, Fernando Tallo, esteve nas três unidades hospitalares para acompanhar a atuação dos profissionais de saúde. Conforme ele, até o final do mês, outros 15 médicos devem chegar à capital amazonense para reforçar o atendimento nas UTIs, das três unidades de saúde.  

    “Identificamos algumas dificuldades que existiam, sabíamos que podíamos ajudar e procurando o Estado do Amazonas, a secretaria de saúde, fizemos uma parceria para viabilizar a vinda de médicos para cá, para que se mantivesse as UTIs em funcionamento e para a abertura de novas UTIs. Isso significa que, certamente, dezenas de vidas humanas aqui no Estado do Amazonas serão beneficiadas”, explicou o coordenador.   

    Cooperação

    A médica infectologista, consultora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), Mariana Croda, também visitou o Hospital Nilton Lins para verificar as necessidades da unidade e a possibilidade de melhoria no atendimento.  

    “A estrutura, o número de recursos humanos, que conseguiram implantar em tão pouco tempo e já ter condições de tratar clinicamente o enfermo de uma maneira total, com hemodiálise, com todas as terapias disponíveis, é um avanço que a gente não consegue ver em outros estados. A estrutura é magnífica, os profissionais muito engajados, e já contando com esse apoio externo, tanto da AMB, OPAS, Ministério da Saúde é que se consegue”, relatou a médica sobre a implantação dos leitos de UTI no hospital. 

    *Com informações da assessoria