Fonte: OpenWeather

    Saúde


    Mais de 20 mil cirurgias foram realizadas pelo AM em dois meses

    Com o planejamento, foi possível reorganizar o fluxo de pacientes nas unidades e reforçá-las, tanto em número de leitos e salas como em equipe médica

    O balanço aponta que durante os meses mais críticos para a saúde do Amazonas, os procedimentos voltados a pacientes não-Covid foram positivos | Foto: Divulgação

    Manaus (AM) - Mesmo durante a pandemia, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) deu em continuidade as  cirurgias eletivas e de urgência das unidades de saúde. Como reflexo das ações tomadas pela gestão Wilson Lima, entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021, foram realizadas cerca de 20 mil cirurgias em toda a rede estadual na capital.

    O balanço aponta que durante os meses mais críticos para a saúde do Amazonas, os procedimentos voltados a pacientes não-Covid foram positivos. Ao todo, foram realizadas 2.519 cirurgias eletivas, aquelas que podem ser planejadas com antecedência. Já o número de cirurgias de urgência realizadas nos dois meses foi de 17.589, totalizando 20.108 procedimentos cirúrgicos.

     “A experiência que nós tivemos, que o Governo do Estado, teve no chamado primeiro pico trouxe para a gente, nesse momento, a possibilidade de nos planejarmos”, explica o secretário-executivo de Gestão e Controle Interno da SES-AM, Silvio Romano.

    Reforço

    Com o planejamento, foi possível reorganizar o fluxo de pacientes nas unidades e reforçá-las, tanto em número de leitos e salas como em equipe médica. O Hospital e Pronto-Socorro (HPS) João Lúcio, situado na zona leste de Manaus, por exemplo, passou a atender a demanda de pacientes não-Covid do HPS Platão Araújo e aumentou de três para cinco o número de salas cirúrgicas. “Isso fez com que mesmo durante esse novo pico da pandemia, o hospital não parasse e desse um resultado muito satisfatório”, destaca Romano.

    Segundo o diretor da unidade, Daniel Castro, o investimento do Estado, para aumentar o quantitativo de número de leitos e salas cirúrgicas no João Lúcio, foi fundamental para que o hospital atendesse com qualidade a demanda no período. Ainda de acordo com Castro, em dezembro foram realizadas 365 cirurgias, já no mês seguinte o número subiu para 407, um aumento de 10%.

    “Mesmo no alto da curva, a secretaria tem nos apoiado incessantemente para que a gente consiga realizar o maior número de procedimentos possíveis, dando maior rapidez e maior solução aos problemas dos pacientes que procuram o João Lúcio”, avalia o diretor da unidade.

    Giro de Leitos 

    Uma das ações criadas pelo Governo do Amazonas, como parte do plano de contingência, para o período sazonal das Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAGs) foi o programa Giro de Leitos, que desde outubro do ano passado vem ajudando a reduzir, consideravelmente, a fila de espera para cirurgias eletivas.

    O plano segue sendo executado nos três grandes HPS de Manaus no horário de 19h à 1h, para que a taxa de ocupação de prontos-socorros esteja dentro da capacidade ideal. Para o coordenador de ortopedia do João Lúcio, Gilmar Rosa, o programa era uma necessidade antiga.

    “Nós tínhamos uma demanda de cirurgias reprimidas, uma fila de espera, principalmente na Fundação Adriano Jorge, e hoje a disponibilidade é bem diferente. O resultado é fenomenal. O Giro de Leitos, se puder manter, vai somar bastante para nós, é uma coisa que acaba com a fila”, avalia.

    *Com informações da assessoria