Fonte: OpenWeather

    Tragédia


    Vítima de explosão morre e vizinhos relatam medo em condomínio no AM

    Após a explosão, a vítima ainda pulou a janela do apartamento e mesmo com 80% do corpo queimado correu para pedir ajuda. Moradores do residencial relataram que novos vazamentos de gás estão ocorrendo na localidade

     

    Vítima sofreu três paradas cardiorrespiratórias, conforme a SES
    Vítima sofreu três paradas cardiorrespiratórias, conforme a SES | Foto: Divulgação

    Manaus - Com queimaduras em 80% do corpo, o autônomo José Alberto de Sena Santos Júnior, de 42 anos, vítima de uma explosão, corrente de um vazamento de gás, em um condomínio de Manaus, morreu na manhã desta sexta-feira (26). O fato aconteceu no fim da tarde de quarta-feira (24), em um residencial localizado no quilômetro 2, da rodovia federal BR-174, no bairro Lago Azul, na Zona Norte.

    A vítima chegou a ser socorrida pelas equipes do Corpo de Bombeiros Militar (CBMAM) e encaminhada ao setor de queimados no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na Zona Centro-Oeste, onde morreu.

    Conforme Jander Rubens, padrasto do autônomo,de 56 anos, José estava dormindo quando as lâmpadas do apartamento da família teriam apresentado falha elétricas, indicando uma possível queda de energia. Ele acordou e foi até a cozinha, onde possivelmente teria acendido o fogão.

    "Logo em seguida já houve a explosão. Não sabemos o que de fato ele acendeu, mas José ainda conseguiu pular pela janela e correu até a outra rua, próximo ao apartamento onde eu moro. Ele caiu, pediu ajuda dos vizinhos e ainda conseguiu falar muito pouco. Depois ele já foi ficando fraco e o socorro demorou. Foi ali que percebemos que devido as queimaduras, era muito difícil que ele resistisse", relatou o padrasto.

    Tratamento 

    A direção do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, onde José estava internado, informou por meio de nota que o paciente deu entrada no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) e sofreu três paradas cardiorrespiratórias. 

    A direção do HPS ressalta que todos os esforços foram empreendidos pela equipe médica e de enfermagem da unidade para tratar e manter a vida do paciente. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) lamenta o falecimento do paciente e se solidariza com a família.

    Ao Em Tempo, Jander contou que José era separado e deixou dois filhos. Ele se mudou para o apartamento onde aconteceu a tragédia, há aproximadamente quatro meses. O local era alugado. 

    "José era autônomo e estava desempregado. Ele fazia uns serviços de pedreiro e com isso garantia o próprio sustento. Recebemos essa triste notícia da morte dele agora pela manhã e já estamos providenciando o velório. Devido às medidas sanitárias, deve durar apenas duas horas", explicou. 

    Perigo e medo

    Na explosão, oito apartamentos foram destruídos após a explosão. Segundo o sargento Noronha, houve vazamento de gás GLP, que ficou confinado no apartamento de José.  Após ele acender um fogão, ocorreu a explosão. 

    Quatro apartamentos desabaram totalmente, já outros quatro tiveram estilhaçamento de vidros e a estrutura comprometida.

    Novos vazamentos foram denunciados aos Em Tempo, na noite de quinta-feira (25). Moradores relataram estarem sem gás após avaliação da empresa. Alguns até deixaram as próprias casas, temendo uma nova tragédia. 

    O corpo José Alberto foi removido pela equipe do Instituto Médico (IML) e após o exame de necropsia deve ser liberado aos familiares para velório e sepultamento.

    Veja o relato de medo dos moradores 

    | Autor: